O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player





Selecione uma letra ao lado!
Verbetes T
TARCÍSIO CARNEIRO LEÃO
Nasceu em 2 de agosto de 1933, em Recife/Pe, filho de Abelardo Carneiro Leão e Luzia Ribeiro Carneiro Leão. Fez curso de medicina na Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Pernambuco. Após sua graduação, foi para o Rio de Janeiro onde ficou sob a tutela dos doutores Ackerman e Paulo Niemeyer, além do Dr. Hélio Belo, seguindo para a França onde fez curso na Faculté de la Pitié-Salpêtrière. Tornou-se professor assistente da Faculdade Estadual de Medicina em Recife em 1963. Chegou a Aracaju em 1964 onde se casou e passou a ser professor titular da recém criada Faculdade de Medicina de Sergipe. Foi o primeiro neurologista do Estado. Trouxe para a cidade o primeiro Serviço de Eletroencefalografia e com a Irmã Protásia e o apoio decisivo do Arcebispo Dom Távora, construiu o Hospital São José, sendo seu diretor e onde trabalhou até o seu falecimento em 22 de março de 1999, em Aracaju/SE, com 65 anos. Sepultado no Cemitério Santa Isabel, Aju/SE.

TEODOMIRO DE SOUZA TELES
Nasceu em 30 de dezembro de 1859 em Capela/SE, filho do Coronel Benjamim de Souza Teles e Maria Pastora dos Anjos Teles. Iniciou o curso de medicina na Bahia e concluiu no Rio de Janeiro, em 22 de dezembro de 1884, defendendo a tese “Estudo clínico da conjunctivite granulosa”. Especializou-se em oftalmologia na Europa. Depois de formado foi residir em São Paulo, onde permaneceu por mais de 40 anos. Casou-se e constituiu família na paulicéia. Depois de longa ausência, voltou à terra natal em 1934, indo residir em Propriá. Faleceu em 17 de outubro de 1936, em Aracaju/SE, com 77 anos.

THEODURETO ARCHANJO DO NASCIMENTO
Nasceu em 16 de setembro de 1866, em Lagarto/SE, filho de Miguel Archanjo do Nascimento e Josepha Maria do Nascimento. Recebeu grau de doutor em medicina pela Faculdade da Bahia em 18 de dezembro de 1886, defendendo a tese “Alcoolismo embriaguez”. Participou do movimento republicano em Sergipe. Em 1891, foi à Europa estudar o tratamento da tuberculose com o uso da linfa. Foi nomeado Inspetor da Higiene Pública em 14 de março de 1903, devido à aposentadoria do Dr. Daniel Campos, durante o Governo de Josino Menezes. Apresentou um projeto de Reforma da Saúde Pública do Estado dos mais avançados, e põe em prática uma eficiente estratégia de combate à peste, no inicio de 1903 em Aracaju. Em 20 de dezembro de 1903 foi eleito Presidente da Sociedade Sergipana de Agricultura. Radicado em São Paulo, ocupou cargos importantes na Saúde Pública. Escreveu: “O hipnotismo científico”, “Cultura da maniçoba”, “Peste indiana”, “Um busto de Pasteur”, “Coisas da Índia”. Colaborou para “Sergipe Jornal”, “O Paiz”, “Jornal do Commercio”, “O Estado de Sergipe”.

THEOTONÍLIO MESQUITA
Nasceu em 20 de setembro de 1915 em Itabaiana/SE, filho de Antônio Filadelfo Mesquita e Josefa Oliveira de Mesquita. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1938. Estagiou no Laboratório Clínico do Hospital Central do Juquerí em São Paulo. Atuou de 1940 a 1949 no Hospital de Cirurgia/SE. Em 1940 assumiu o cargo de chefe do laboratório do Serviço de Assistência a Psicopatas e simultaneamente abriu seu próprio laboratório de pesquisas clínicas que funcionou até os anos 70. Fez curso de especialização de Técnicas de Laboratório (1943) no Instituto Osvaldo Cruz, no Rio de Janeiro. Em 1945 fez curso de especialização no Michigan Department of Health e em seguida no Connecticut Department of Health e Massachusetts Department of Health. Em 1946 assumiu pela primeira vez a função de diretor do Instituto Parreiras Horta e lá trabalhou até sua aposentadoria em 1985. Em 1954 foi nomeado professor catedrático de Elementos de Microbiologia – Tecnologia das Fermentações da Escola de Química de Sergipe e depois foi seu diretor (1963). Em 1960 o Instituto Parreiras Horta novamente sob sua direção construiu um pavilhão que serviu de laboratório para a Faculdade de Medicina de Sergipe e lecionou a cadeira de Bacteriologia. Em 1963 foi nomeado Secretário da Fazenda e Obras Públicas do Estado de Sergipe no governo de Seixas Dórea (casado com sua única irmã, D. Mary), onde permaneceu até o ano seguinte. Foi nomeado diretor da Escola Técnica Federal de Sergipe (1964) por cinco anos . Em 1971 conquistou o título de especialista em Patologia Clínica. Em 1976 a UFS lhe outorgou o título de Professor Emérito. Patrono da cadeira trinta e quatro da Academia Sergipana de Medicina. Faleceu em 7 de setembro de 1993, em Aju/SE,  com 77 anos. Sepultado no Cemitério Santa Isabel, Aju/SE.

THOMAZ DE CARVALHO BORGES
Nasceu em 2 de novembro de 1851 em Laranjeiras/SE, filho de João de Carvalho Borges e Leopoldina dos Santos Borges. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 3 de setembro de 1878 defendendo a tese “Do melhor método de tratamento das feridas acidentais e cirúrgicas”. Atuou como obstetra e foi sócio-fundador do Colégio Brasileiro de Medicina e Cirurgia em 1888. faleceu em 30 de setembro de 1891, em Rio Novo/MG, com 40 anos.

THOMAZ RODRIGUES DA CRUZ
Nasceu 29 de janeiro de 1852, em Salvador/BA, filho de João Rodrigues da Cruz e Maria Leopoldina Lopes de Carvalho. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 16 de dezembro de 1871. Fez especialização em Paris e Londres e ao retornar passou a exercer a medicina em Maruim/SE. Casou-se com Clara de Faro Rollemberg, irmã do senador Gonçalo Rollemberg, de ilustre família sergipana. Teve nove filhos. Foi deputado provincial (1884-85). Estava no exercício da presidência da Província de Sergipe quando da Proclamação da República (1889), passando pacificamente o poder para os republicanos. Senador da República (1890-1893). Foi um dos fundadores do Gabinete de Letras de Maruim (1877), fundador do Instituto Cruz para rapazes economicamente desfavorecidos e intelectualmente privilegiados e co-fundador da Fábrica Sergipe Industrial ao lado do irmão João Rodrigues da Cruz, empresário baiano que viveu em Maruim e Aracaju, sendo seu diretor de 1893 a 1918. Foi ainda um dos fundadores do Banco de Sergipe (1906). Foi duplamente sogro do médico Augusto César Leite. Faleceu em 1º de agosto de 1919, em Aracaju/SE, com 67 anos.

THOMAZ RODRIGUES PORTO DA CRUZ
Nasceu em 29 de dezembro de 1940, em Aracaju/SE, filho de Carlos Rodrigues da Cruz e Celuta Porto da Cruz. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 15 de dezembro de 1964. Residente em Clínica Médica no Hospital Universitário Prof. Edgar Santos e no New York Hospital. Estagiou por três anos no serviço de endocrinologia do Cornell University Medical College. Livre Docente e professor adjunto da Faculdade de Medicina da Bahia(Universidade Federal da Bahia), da qual foi diretor. Presidiu a Academia de Medicina da Bahia e as Sociedadades Brasileiras de Endocrinologia e de Diabetes. Atualmente coordena a disciplina de endocrinologia da FMB/UFBA e chefia o serviço de endocrinologia do Hospital Universitário Prof. Edgar Santos. É membro honorário da Academia Sergipana de Medicina, da Sociedade Portuguesa de Endocrinologia e Metabologia e da Sociedade Dominicana de Endocrinologia. Autor do livro “ Perfis do meu apreço”. É sócio-proprietário das empresas Leme, que desde 1972 oferece serviços de medicina laboratorial, Sol (Saúde Ocupacional Leme) e da Laborare ( Consultoria de Gestão e Desenvolvimento de pessoas). Reside em Salvador/BA.

TOBIAS RABELO LEITE
Nasceu em 07 de abril de 1827, em Laranjeiras/SE, filho do Capitão Tobias Rabelo Leite e Ana Maria de Lemos. Em fevereiro de 1844 iniciou os estudos de medicina na Bahia, transferindo-se depois para o Rio de janeiro onde concluiu o curso em 1849. Foi interno do Hospital Militar da Misericórdia, onde observou os primeiros casos de febre amarela no Brasil. Foi médico do corpo de polícia. O Imperador Pedro II, seu amigo, o nomeou Oficial da Ordem Imperial da Rosa. Foi deputado por Sergipe na Assembléia Geral (1857 – 1860). Durante a grande epidemia de cólera de 1855, em Sergipe, apresentou-se voluntariamente para prestar o seu serviço aos conterrâneos. Entretanto, seu grande trabalho foi na educação para surdos. Ele consolidou o ensino aos surdos no Brasil e foi o terceiro diretor do Instituto Imperial dos Surdos-Mudos por 28 anos, entre 1868 e 1896. Com vários trabalhos publicados sobre educação dos surdos-mudos, é considerado como um dos introdutores dessa modalidade de pedagogia no Brasil. Escreveu “Notícia do Instituto de Surdos-mudos”(1871), “Noções da Língua Portuguesa para Surdos-Mudos(1871), “Regimento Interno dos Surdos-Mudos”, “Contos Morais para Surdos-Mudos”, “Lições de Metrologia”(1875) “Salva-Guarda do Surdo-Mudo Brasileiro”(1876), “Ensaio da pré-história da literatura clássica alemã”. Faleceu em 3 de agosto de 1896, no Rio de Janeiro/RJ, com 69 anos.
 

   VENDAS:

  SOMESE ( 79-3211-9357)

  LIVRARIAS ESCARIZ
  (Shopping Jardins e Riomar)

  BANCA DO MINI'GOLF


   CAFÉ DO MUSEU (79 3041-0692 )

   Pálacio-Museu Olímpio Campos-
   Pça.Olímpio Campos, s/n – Centro. Telefone:


  Sugestões de verbetes,
  correções, adendos ou críticas
.


 
Mande sua mensagem, crítica e sugestão
   
Nome
Email:
Assunto
Mensagem
Anexo
 

 Copyright©2009 – Antonio Samarone de Santana, Lúcio Antonio Prado Dias e Petrônio Andrade Gomes.
 TODOS OS DIREITOS DESTA EDIÇÃO RESERVADOS AOS AUTORES
 Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, com finalidade de comercialização
 ou aproveitamento de lucros e vantagens, com observância da Lei de regência.
 Poderá ser reproduzido texto, entre aspas, desde que haja expressa menção dos nomes dos autores, título da obra, editora, edição e paginação.
 A violação dos direitos de autor (Lei 9.610/98) é crime estabelecido pelo artigo 184 do Código Penal.