O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player





Selecione uma letra ao lado!
Verbetes J

JACY MEIRELLES CARVALHO
Nasceu em 21 de outubro de 1930, em Gandu/BA, filha de Victor Meirelles e Maria Magalhães Meirelles. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 15 de dezembro de 1954 e casou-se com o colega de turma, o sergipano Paulo Freire de Carvalho. Foi diretora do Serviço de Amparo à Maternidade, à Infância e a Adolescência da Secretaria de Saúde e Assistência Social do Estado de Sergipe. Atuou na Legião Brasileira de Assistência , na Casa Maternal Amélia Leite , no INAMPS , Instituto de Puericultura Martagão Gesteira e na Clínica Infantil e de Medicina Preventiva da qual foi, junto com o esposo, responsável técnica e fundadora, sendo esta a primeira clínica particular preventiva e curativa criada no Estado de Sergipe, em 14 de setembro de 1969. Coordenou o Programa Materno- Infantil da Secretaria de Estado da Saúde. Foi Consultora Técnica para desenvolvimento de Programas de Controle de Doenças Transmissíveis da mesma secretaria.Publicou: “A Poliomielite em Sergipe no ano de 1967”. Fez Curso de Especialização em Saúde Pública. Exerceu a pediatria. Reside atualmente em Aracaju/SE.

JAZILDA PIRES DE ASSIS
Nasceu em 15 de março de 1940, em Recife/PE, filha de Álvaro Pires de Assis e Edelziza Pereira de Assis. Formou-se pela Faculdade de Ciências Médicas de Pernambuco em 20 de dezembro de 1969. Em 1972 passou a atuar em Tobias Barreto/SE, pela Fundação Sesp. Faleceu em 1973, com 33 anos.

JERÔNIMO SODRÉ PEREIRA
Nasceu em 6 de junho de 1840, em Santo Amaro/Ba, filho do Coronel Francisco Sodré Pereira e D. Cora Coutinho Sodré. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1861. Foi o penúltimo presidente da Província de Sergipe, de 5 de julho a 24 de outubro de 1889, tendo deixado o governo em mãos de outro médico, Thomaz Rodrigues da Cruz – último presidente antes da República, que por sua vez transmitiu o governo para a primeira junta republicana. Uma curiosidade: o primeiro governador do período republicano também foi um médico, Felisbello Freire, professor da Faculdade de Medicina da Bahia. Durante sua curta passagem pelo Governo de Sergipe, demitiu 176 professores públicos. Foi deputado federal pela Bahia (1878 – 1881). Faleceu em Salvador/BA, em 9 de novembro de 1909, com 69 anos.

JESSÉ DE ANDRADE FONTES
Nasceu em 29 de novembro de 1881 em Arauá/SE, filho do capitão Felisberto Fontes de Melo e Anna de Andrade Fontes. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 22 de dezembro de 1903, defendendo a tese “Estudo da Síndrome da porção espinhal do feixe piramidal”. A partir de 1904 estabeleceu sua clínica em Estância. Foi diretor do Hospital Amparo de Maria e professor de vários colégios em Estância. Teve atuação de destaque na vida social e cultura da cidade, e importante participação no atendimento às vítimas dos torpedeamentos dos navios brasileiros no litoral sergipano em 1942, durante a Segunda Guerra Mundial. Faleceu em 7 de setembro de 1962, em Aracaju/SE, aos 81 anos. Sepultado no Cemitério N. Sra. da Piedade, Estância/SE.

JESUÍNO PACHECO D’ÁVILA
Nasceu em 18 de janeiro de 1828 em Estância/SE, filho de Domingos Pacheco d’Ávila e Antônia Francisca de Jesus Pacheco. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 18 de dezembro de 1854 defendendo a tese “Proposições sobre o contágio”. Foi militar, deputado estadual em duas legislaturas, de 1858 a 1859 e de 1862 a 1863. Atuou em Estância/SE, onde faleceu em 28 de novembro de 1890, com 62 anos.

JOÃO ANTÔNIO DA SILVA MARQUES
Nasceu em 1º de janeiro de 1838 em Laranjeiras/SE, filho de Narciso da Silva Marques e Antônia Benta da Glória. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 30 de novembro de 1863, defendendo a tese “Há realmente duas variedades de clorose, uma simpática e outra idiopática?”. Militar, atuou na Guerra do Paraguai, condecorado com a Ordem de Cristo e Ordem de São Bento de Aviz. Faleceu em 10 de março de 1894, em Aracaju/SE, com 56 anos. 1º cirurgião do corpo de saúde do Exército.

JOÃO BAPTISTA DE BARROS PIMENTEL FILHO
Nasceu em 4 de maio de 1872 em Pacatuba/SE, filho de João Baptista Barros Pimentel e Anna Jeronyma Martins Barros Pimentel. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia, primeiro em farmácia e depois em medicina em 24 de setembro de 1898, defendendo a tese “Psychoterapia”. Atuou nas cidades paulistas de Jaú e Bragança e em Araguari/MG. Foi correspondente do “Correio Paulistano” de Bragança/SP. Faleceu em 17 de novembro de 1939 em Santos/SP, com 67 anos. Sepultado no Cemitério da Paquetá, Santos/SP.

JOÃO BAPTISTA PEREZ GARCIA MORENO
Nasceu em 12 de dezembro de 1910, em Laranjeiras/SE, filho de Pedro Garcia Moreno e Maria Ambrosina Brandão Moreno e irmão dos médicos Canuto e Pedro Garcia Moreno. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Universidade da Bahia em 1933. Escritor e professor. Dedicou-se à psiquiatria dirigindo o Hospital Colônia Eronides Carvalho, criado e inaugurado em 1940. Publicou: “Esquema de Trabalho” (1940); “Eletroconvulsoterapia” (1943); “A propósito da Insulinoterapia” (1943); “Seguro Doença” (1945), “Aspectos do maconhismo em Sergipe” (1946); “Penicilinoterapia na demência paralítica” (1947). “O Sexo da Maconha” (1948); “Letras Vencidas” (1955); “Cajueiro dos Papagaios” (1959); “Do­ce Província” (1960); “Temas de Medicina Legal” (1960). Era membro da Academia Sergipana de Letras, onde ingressou em 1942. Em 1944 participou da fundação do Centro de Estudos Econômicos e Sociais de Sergipe. No magistério destacou-se na Congregação do Atheneu Sergipense. Presidiu a Sociedade Médida de Sergipe (1950-1951). Foi um dos idealizadores da Faculdade de Medicina de Sergipe, lançando a sua semente em 1953 e quando de sua fundação em 1961 foi professor de psiquiatria e depois diretor da faculdade de medicina. Lecionou a disciplina de medicina legal da Faculdade de Direito. Vice-reitor da Universidade Federal de Sergipe. Patrono da cadeira dezessete da Academia Sergipana de Medicina. Faleceu em 22 de outubro de 1976, em Aracaju/SE, com 65 anos. Sepultado no Cemitério da Irmandade do Bonfim, Laranjeiras/SE.

JOÃO BATISTA DE LIMA
Nasceu em 11 de dezembro de 1921 em Itapipoca/CE, filho de Alfredo Rodrigues de Lima e Maria Teles de Lima. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1949 e logo em seguida fez curso de Saúde Pública pela Escola Nacional de Saúde Pública de São Paulo. Integrou-se ao Serviço Especial de Saúde Pública atuando em Palmares/PE e em seguida Areias/PB. Em 1954 transferiu-se para Propriá/SE, assumindo o comando do Distrito Sanitário local. Em 1956 foi nomeado Diretor do Serviço Cooperativo de Saúde do Estado de Sergipe, fundado no Governo Leandro Maciel em parceria com o Governo Federal e prefeituras, ficando no cargo até 1960, quando foi criada a Fundação Serviço Especial de Saúde Pública – FSESP onde atuou como diretor até passar o comando para o médico Salvino Guerra. Atuou na Secretaria da Saúde como assessor especial do secretário Jorge Cabral Vieira no governo de Paulo Barreto de Menezes. Participou de diretorias do Clube dos Médicos, aposentando-se em 1991. Fez curso da ADESG e foi um de seus conferencistas quando o tema era saúde. Em 1993, recebeu o Título de Sócio Jubilado da Associação Médica Brasileira e Sociedade Médica de Sergipe. Faleceu em 24 de julho de 1998, em Aracaju/SE, com 76 anos.

JOÃO BOSCO SILVA DE LIMA
Nasceu em 23 de julho de 1946, em Estância/SE, filho de Urbano de Oliveira Lima Neto e Ana Maria Silva de Lima. Formou-se pela Faculdade de Ciêncais Médicas da Universidade Federal de Sergipe em 1975. Clínico e gastroenterologista. Atuou no IPES, no Hospital Santa Isabel e no INAMPS como médico perito. Faleceu em 9 de maio de 1994, com 47 anos, barbaramente assassinado, em Aju/SE. Sepultado no Cemitério Santa Isabel, Aju/SE.

JOÃO CÂNDIDO LIMA
Nasceu em 16 de maio de 1859 em Tobias Barreto/SE, filho de Luiz Cyrillo Lima e Inácia Carolina da Rocha Lima e irmão dos médicos Carpophoro Mendonça Lima e Domingos Portella Lima. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 5 de março de 1884, defendendo a tese “Tumores fibrosos do útero e seu tratamento”. Atuou em Lagarto, Laranjeiras e Itabaiana/SE e nas cidades paulistas de Casa Branca, Rio Claro, Pirassununga, São Paulo de Agudos e São Carlos do Pinhal, onde foi professor e faleceu em 22 de maio de 1920, com 61 anos.

JOÃO CARDOSO NASCIMENTO JÚNIOR
Nasceu em 1º de junho de 1918 em Piquete/SP, filho de pais sergipanos, João Cardoso Nascimento e Edelvira Brito Nascimento. Passou a morar em Aracaju a partir dos 10 anos de idade. Iniciou os estudos de medicina no Rio de Janeiro, mas concluiu o curso na Bahia em 1945. Especializou-se em pediatria. Foi funcionário público federal, diretor do Hospital de Cirurgia, presidente da Casa Maternal Amélia Leite, Secretário de Estado da Educação e primeiro Reitor da Universidade Federal de Sergipe. Empresta seu nome para o Campus da Saúde da Universidade Federal de Sergipe, em Aracaju. Faleceu em 8 de janeiro de 1988, em Aracaju/SE, com 79 anos.

JOÃO CONRADO GUERRA
Nasceu em 25 de novembro de 1916, em São Félix/BA, filho de Moysés Guerra e Carmelita Conrado Guerra. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia. Especializou-se em análises clínicas. Recebeu da Associação Médica Brasileira e da Sociedade Médica de Sergipe o Título de Sócio Jubilado em 1987. Faleceu em 4 de setembro de 2000, em Aracaju/SE, com 83 anos. Sepultado no Cemitério da Atalaia, Aju/SE.

JOÃO DANTAS DE MAGALHÃES
Nasceu em 26 de julho de 1866 em Estância/SE, filho de Manoel Ignácio Pereira de Magalhães e Anna Dantas Magalhães. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1892 defendendo a tese “Da desinfecção”. Ingressou no Exército em 24 de fevereiro de 1894, como médico-adjunto, participando da Campanha de Canudos por quatro meses. Em 1898 é transferido para o Rio Grande do Sul. Atua ainda no Rio Grande do Norte, Pernambuco, Maranhão, Amazonas e em 1905 retorna a Pernambuco, quando é eleito deputado estadual por Sergipe (1906-1908). Findo o mandato, retorna a Manaus/AM em 1911, Ceará (1912) e Rio de Janeiro, onde é designado para chefiar o serviço de Medicina Legal do Hospital Central do Exército, nesta cidade. Em 1926 é promovido ao posto de General-de-Brigada. Em 1929 é reformado, quando exercia a chefia da Junta Superior de Saúde. Faleceu em 1948, em Salvador/BA.

JOÃO DAS CHAGAS ROSA
Nasceu em 24 de abril de 1848 em Japaratuba/SE, filho de Francisco das Chagas Bomfim e Anna Garcia das Chagas Rosa. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1872, defendendo a tese “Diagnóstico differencial entre o cancro do estômago, a úlcera redonda e o catarho crônico do mesmo órgão”. Atuou no Rio de Janeiro. Foi poeta, maçom e militar. Faleceu nesta cidade em 14 de julho de 1899 no RJ/RJ, com 51 anos.

JOÃO DE OLIVEIRA MAIA
Nasceu em 15 de novembro de 1886 em Maruim/SE, filho de Deodato da Silva Maia e Umbelina de Oliveira Borges Maia. Formou-se pela Faculdade de Farmácia e depois na de Medicina no Rio de Janeiro em 1908. Atuou como farmacêutico do Hospital Evangélico/RJ. Foi colega de turma do Dr. Augusto Cezar Leite. Faleceu em dezembro de 1936 no Rio de Janeiro/RJ, aos 50 anos.

JOÃO FERREIRA DE BRITTO TRAVASSOS
Nasceu em 29 de agosto de 1820 em Santo Amaro das Brotas/SE, filho de Francisco José da Silva Travassos e Maria Antonia da Porciuncula. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1º de dezembro de 1845. Após a formatura, retornou a Sergipe, inicialmente para Santo Amaro e em seguida para Japaratuba. Nesta cidade passou a ter militância política, sendo nomeado Diretor Geral do Ensino Público em 1885, efetivando-se como membro do Comício Agrícola Sergipense. Em 24 de dezembro de 1859 foi nomeado para a Junta de Higiene Pública da província. Escreveu: ”Orientações adequadas para o tratamento do cólera-morbus”, publicado no jornal Correio Sergipense em 1863. Faleceu em 25 de junho de 1885, em Japaratuba/SE, com 64 anos.

JOÃO FIRPO FILHO
Nasceu em 3 de maio de 1899, em Maruim/SE, filho de João Firpo e Antônia de Menezes Firpo e irmão do médico Carlos Firpo. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 24 de março de 1924, defendendo a tese “Da glicemia – tratamento da diabete com a insulina”. Ao retornar a Sergipe, tornou-se assistente técnico do Instituto Parreiras Horta, assumindo depois as funções de bacteriologista. Assumiu a direção do IPH após o retorno de seu fundador ao Rio de Janeiro, permanecendo à frente da entidade até falecer. Foi o primeiro médico a utilizar a insulina em Sergipe. Foi o segundo radiologista do Hospital de Cirurgia em 1927, substituindo Ranulfo Prata. Foi também um inovador no tratamento da tuberculose pelo pneumotórax artificial e pelos sais de ouro e destacou-se como obstetra. A maternidade do Hospital Santa Isabel leva o seu nome. Como homem de negócios, fundou uma indústria quimioterápica em Sergipe. Faleceu em 25 de novembro de 1945, em Aracaju/SE, com 47 anos. Sepultado no Cemitério Santa Isabel, Aju/SE.

JOÃO FRANCISCO DE ALMEIDA
Nasceu em 1817 em São Cristóvão/SE, filho de Pedro Francisco de Almeida e Luiza Francisca de Almeida. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 25 de novembro de 1846 defendendo a tese “Proposições sobre a alienação mental”. Foi o primeiro professor de medicina legal da Faculdade de Medicina da Bahia e seu quarto diretor, ainda na condição de estudante. Seu quadro em óleo sobre tela faz parte da galeria dos ex-diretores da Faculdade, localizada no gabinete da diretoria. Atuou em Valença/BA, foi militar e faleceu na Bahia em 8 de fevereiro de 1864, com 47 anos.

JOÃO FRANCISCO DOS REIS
Nasceu em março de 1857 em Riachuelo/SE, filho de João Francisco dos Reis e Rosa Florinda do Amor Divino e irmão do médico Ascendino Ângelo dos Reis. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1883, defendendo a tese “Considerações acerca da eclampsia e seu tratamento”. Faleceu em 28 de fevereiro de 1895, em Carmo/RJ , com 38 anos.

JOÃO GILVAN ROCHA
Nasceu em 26 de agosto de 1932, em Propriá/SE, filho de José da Rocha e Ludicéia Rocha. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1958. Fez especialização em ginecologia no Instituto de Oncologia de Lisboa. Foi professor de fisiologia da Faculdade de Medicina de Sergipe. Juntamente com os médicos Aloysio Vieira e Gilton Rezende, criou o primeiro serviço de prevenção das doenças da mulher e planejamento familiar de Sergipe, o PREVAN. Cartunista e artista plástico premiado participou de inúmeras exposições no Brasil. Autor do painel com as caricaturas dos médicos sergipanos que era exposto no Clube dos Médicos de Sergipe. Foi um dos coordenadores da 1º Congresso Médico de Sergipe ocorrido em 1966. Entrou de forma inesperada e surpreendente na política ao se eleger senador por Sergipe, derrotando categoricamente nas urnas uma das maiores lideranças políticas do Estado, o ex-governador e ex-senador Leandro Maciel, sendo o primeiro sergipano a obter mais de cem mil votos (77% dos votos de Aracaju) numa eleição, fato destacado no livro do jornalista Sebastião Nery, “As 16 derrotas que abalaram o Brasil”. Orador destacado teve um mandato profícuo, com inúmeros pronunciamentos e publicações. Presidiu a CEME – Central de Medicamentos do Ministério da Saúde. Foi membro da Academia Sergipana de Letras e é patrono da cadeira trinta e nove da Academia Sergipana de Medicina. Faleceu em 28 de novembro de 2002, em Aracaju/SE, com 70 anos de idade. Sepultado no Cemitério Santa Isabel, Aju/SE.

JOÃO JOSÉ HENRIQUES
Nasceu em 22 de dezembro de 1876 em Capela/SE, filho de Raymundo Ezequiel Henriques e Maria Rosa de Mello Henriques. Formou-se em farmácia na Bahia e em medicina no Rio de Janeiro, em 1900, defendendo a tese “Da medicação anti-infecciosa no beribéri”. Trabalhou em Belém/PA, onde foi diretor do Terceiro Distrito Sanitário Marítimo.

JOÃO LEITE DE BITTENCOURT CALASANS
Nasceu em 1877 em Arauá/SE, filho de Anísio Leite de Bittencourt Calasans e Elvira Leite de Bittencourt Calasans. Formou-se em farmácia (1897), odontologia (1898) e em medicina em 27 de fevereiro de 1902, pela Faculdade de Medicina da Bahia, defendendo a tese “Da hiper-hidrose”. Atuou em Salvador, Santo Antônio de Jesus, Esplanada e em Barracão, todas na Bahia e em Estância/SE, como obstetra e pediatra. Sua filha, Elvira Santos Calasans Simões, casou-se com o Dr. Juliano Calasans Simões.

JOÃO LEITÃO PIRES
Nasceu em 30 de novembro de 1888, em Santo Antônio de Jesus/BA, filho de Cesar Lima Pires e Maria Etelvina Leitão Pires. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1942, exercendo a especialidade de homeopatia. Faleceu em 2 de abril de 1967, em Aracaju/SE, com 79 anos.

JOÃO MACHADO DE AGUIAR MELLO
Nasceu em 1º de dezembro de 1857, no engenho Várzea Nova em Divina Pastora/SE, filho do Coronel João Gomes de Mello e Maria da Glória de Aguiar Mello. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 15 de dezembro de 1883, defendendo a tese “Das afecções hepáticas devidas a lesões cardíacas e vice-versa”. Formado, regressou para sua terra natal e foi clinicar em Rosário do Catete, permanecendo ali por quinze meses. Transferiu-se para Propriá/SE e pouco tempo depois para Maruim/SE. Procurando novos horizontes emigrou para Manaus/AM em setembro de 1855, onde conquistou grande prestígio. No Amazonas foi Diretor Geral da Instrução Pública, diretor e médico do Instituto Amazonense, médico da Santa Casa de Misericórdia e do Hospital da Beneficência Portuguesa. Foi professor do Lyceu Amazonense. Autor de vários trabalhos. Faleceu em 22 de junho de 1899, em Propriá/SE , com 42 anos.

JOÃO MARCELO PRADO VILAS-BÔAS
Nasceu em 24 de março de 1949, em Aracaju/SE, filho de Aloísio Mello Vilas-Bôas e Sônia Prado Vilas-Bôas. Formou-se pela Escola de Medicina e Saúde Pública da Universidade Católica de Salvador em 12 de dezembro de 1974. Mestre e Doutor em Ortopedia, fez aperfeiçoamento na Alemanha e retornou para Aracaju em 1981, atuando no Hospital São Lucas. Foi médico do trabalho. Casado em primeiras núpcias com a neta do Dr. Carlos Moraes de Menezes. Faleceu em 19 de setembro de 2005, em Aracaju/SE , com 56 anos. Sepultado no Cemitério São Benedito, Divina Pastora/SE. Bisneto de Denitério Hércules da Silveira.

JOÃO MOREIRA DE MAGALHÃES
Nasceu em 31 de janeiro de 1855 em Estância/SE, filho de Joaquim Moreira de Magalhães e Emília de S. Calixto Magalhães e irmão do médico José Moreira de Magalhães. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1877, defendendo a tese “Das indicações do aborto”. Escreveu: “Da morte do feto no útero”. Atuou em Sergipe e no Estado do Amazonas, onde foi diretor de instrução pública de Manaus em 1890. Por nomeação do governo local, foi inspetor de saúde da cidade de Porto Acre.

JOÃO MOREIRA DE MELLO MAGALHÃES
Nasceu em 29 de outubro de 1883 em Maruim/SE, filho de médico João Moreira de Magalhães e Emília de S. Calixto Magalhães. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 6 de maio de 1907. Fez curso de Agomensura no Colégio Militar do Rio de Janeiro.

JOÃO PAULO VIEIRA DA SILVA
Nasceu em 26 de junho de 1832 em Propriá/SE, filho de João Vieira da Silva e Theodora Francisca de Menezes. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1858 defendendo a tese “Tratamento das moléstias mentais”. Atuou nas cidades sergipanas de Divina Pastora, Maruim e Itaporanga d’Ajuda. Teve um filho médico chamado Serafim Vieira de Almeida. Dono de engenho em Itabaiana/SE. Foi deputado estadual em várias legislaturas. Faleceu em Aracaju/SE em 10 de fevereiro de 1875, com 43 anos.


JOÃO RODRIGUES DA COSTA DÓRIA
Nasceu em 14 de junho de 1887 em Propriá/SE, filho de Gustavo Rodrigues da Costa Doria e Maria Soledade da Costa Doria e irmão do médico José Rodrigues da Costa Dória. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 23 de dezembro de 1911, defendendo a tese “Das apresentações do pelvis”. Militar, ocupou o cargo de 1º Tenente Médico. Atuou no Serviço de Medicina Legal da Bahia. Exerceu atividades docentes como professor de química na Escola Politécnica da Bahia.


JOÃO SABINO VIEIRA
Nasceu em 24 de julho de 1846 em Estância/SE, filho de Manuel Sabino de Souza Leal e Anna Vieira de Jesus Leal. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1870, defendendo a tese “As perturbações funcionais que se modificam durante a prenhez dependerão de um estado cloro-anêmico ou de uma verdadeira pletora?”. Escreveu seu próprio epitáfio. Faleceu no Rio Grande do Sul em 1881, com 35 anos.


JOÃO TELLES DE MENEZES
Nasceu em 5 de outubro de 1843 em Estância/SE, filho do Major Florentino Telles de Menezes e Leonor Bernardina Xavier dos Reis Menezes e irmão dos médicos Álvaro e Florentino Telles de Menezes.. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em abril de 1870. Ainda como estudante de medicina serviu como militar na Guerra do Paraguai. Estabeleceu residência em Porto Alegre/RS, onde exerceu a clínica por muitos anos. Faleceu em 15 de agosto de 1908 em Salvador/BA, onde residia desde 1906, com 64 anos.


JOÃO VIEIRA LEITE
Nasceu em 4 de setembro de 1867 no engenho São Félix, Santa Luzia do Itanhy/SE, filho do Coronel Sisenando de Souza Vieira e Adelaide Leite Vieira e irmão do médico Berillo Vieira Leite. Colou grau pela Faculdade de Medicina da Bahia em 27 de outubro de 1890, defendendo a tese “Apreciação dos métodos operatórios gerais adotadas na operação cesariana”. Clinicou em Estância. Foi Intendente Municipal, deputado estadual nas legislaturas 1894-95, 1896-97, Presidente da Assembléia Legislativa e, nessa condição, Governador de Sergipe por 44 dias, após a deposição de José Calazans (1894). Teve carreira meteórica como médico e como político, até quando ocorreu uma grande tragédia: ainda moço, com apenas 35 anos, em 1902, começou a apresentar distúrbios psiquiátricos, sendo levado pela família de navio para o Rio de Janeiro. Durante a viagem, que durava de cinco a oito dias, ele foi enclausurado num apertado compartimento do “Vapor da Cia. Esperança Marítima”. Atormentado pela doença, aprisionado, submeteu-se a um autoflagelo e não resistindo aos ferimentos, veio a falecer à bordo em 21 de janeiro de 1902, nas proximidades do porto de Vitória, no Espírito Santo, antes de chegar ao seu destino no Rio de Janeiro. Morre resistindo à violência da internação, com 35 anos. Sepultado em Vitória/ES.


JOAQUIM ESTEVES DA SILVEIRA
Nasceu em 31 de janeiro de 1832 em Santa Luzia/SE, filho de João Esteves da Silveira e Isabel Carolina da Silveira e Silva. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 17 de dezembro de 1853 defendendo a tese “Proposições acerca da hidroterapia”. Fundou “O Acadêmico” (Bahia, 1853). Atuou também em Estância/SE. Era conhecido como “o poeta da noviça”. Faleceu de tuberculose em Salvador/BA em 2 de outubro de 1855, com 23 anos.


JOAQUIM FRAGA LIMA
Nasceu em 29 de junho de 1899, em Paripiranga/BA. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1925, defendendo a tese “Sobre um caso de sopro troncular de João Fróes”. Em 1926 instalou-se com consultório na cidade de Itabaiana/SE, onde clinicou até 1932 quando se transferiu para Aracaju. Em 1933 foi nomeado professor da Cadeira de Geografia Geral e do Brasil do Atheneu Pedro II, hoje Colégio Estadual Atheneu Sergipense. Em 1944 foi nomeado médico do Departamento Estadual de Saúde para chefiar o Serviço de Profilaxia da Lepra, seguindo para o Rio de Janeiro no mesmo ano para fazer curso de especialização no Departamento Nacional de Saúde, diplomando-se em Leprologia em dezembro. Em 19 de abril de 1945 inaugurou em Aracaju a Colônia Lourenço de Magalhães para portadores de Mal de Hansen. Em 1947 publicou o opúsculo “A Lepra em Sergipe”. Em 1949 foi nomeado médico do Ministério da Educação e Saúde, lotado no Serviço Nacional de Lepra, mas permaneceu em Sergipe para dar assistência ao SPL pelo fato de não existir leprólogos nos quadros do Estado. Em 1955, foi transferido para o Rio de Janeiro, atuando até 1959 na Campanha Nacional contra a Lepra. A partir deste ano assumiu as funções de coordenador do Programa de Propaganda e Educação Sanitária do Serviço Nacional de Lepra, assumindo a sua direção no governo do presidente Humberto de Alencar Castelo Branco. Aposentou-se em 1969, com 41 anos de serviço publico.


JOAQUIM JOSÉ DE OLIVEIRA
Nasceu em 2 novembro de 1820 em São Cristóvão/SE, filho de Francisco Félix de Oliveira e Anna Joaquina de Oliveira. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia, em 23 de novembro de 1844, defendendo a tese “Proposições sobre os ruídos normais e patológicos do coração e das artérias”. Escreveu muito sobre a história de Sergipe, com seus escritos tendo paradeiro desconhecido. Trabalhou em São Cristóvão/SE. Foi o primeiro comissário vacinador em 1846. Provedor de Saúde do Porto. Deputado estadual (1852-53), chegou a ser governador da Província. Capitão-Mor da Guarda Nacional. Primeiro Diretor do Hospital Nossa Senhora da Conceição (atual Santa Isabel), em 1862. Condecorado com a Ordem de Cristo em 14 de março de 1860, após a visita do Imperador a sua cidade. Escreveu: “Limites de Sergipe com a Bahia”, “Histórias perdidas”, “Apontamentos para a História de Sergipe” (inédito). Músico, com várias composições. Filantropo. Seguidor da homeopatia. Faleceu em 16 de setembro de 1872, no Rio de Janeiro/RJ, com 52 anos.


JOAQUIM MANUEL DE ALMEIDA VIEIRA
Nasceu em 11 de agosto de 1846 em Capela/SE, filho do Tenente Guilherme José Vieira e Carlota Rosa do Amor Divino Vieira e irmão do médico Antonio Serafim de Almeida Vieira. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1863, defendendo a tese “Queimaduras - erisipela considerada em geral hemorragia puerperal e seu tratamento. Escreveu: Teoria da respiração vegetal”. Ainda como estudante de medicina atuou na Guerra do Paraguai, como cirurgião do Exército e pelos seus atos foi condecorado como Cavaleiro da Ordem da Rosa. Segundo Epifânio Dória, Joaquim Manuel foi um dos maiores talentos de Sergipe. Colaborou com a “Gazeta Médica” da Bahia”. Faleceu em 10 de junho de 1882, em Aracaju/SE , vitimado pelo beribéri, com 36 anos.


JOAQUIM MARCELLINO DE BRITO JÚNIOR
Nasceu em 29 de julho de 1830, em Santo Amaro/SE, filho do Conselheiro Joaquim Marcellino de Brito, do Supremo Tribunal de Justiça e Senhorinha Accioly Madureira de Brito. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 18 de dezembro de 1852, defendendo a tese “Breve dissertação sobre a hipocondria”. Foi nomeado 1º Cirurgião do Corpo da Armada. Moço fidalgo da Casa Imperial foi condecorado com o hábito da Ordem de Cristo. Faleceu em 12 de maio de 1878, no Rio de Janeiro, com 58 anos.


JOAQUIM MARCELLINO DE BRITO
Nasceu em 11 de julho de 1853, em Laranjeiras/SE, filho de Luiz Barbosa Acioli de Brito e Cândida Madureira Accioly de Brito. Sobrinho do médico Joaquim Marcellino de Brito e irmão de José Accioly de Brito, que foi presidente da Província de Goiás. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 26 de dezembro de 1876, defendendo a tese “Das causas da moléstia”. Clinicou em Jaú/SP, onde também exerceu o cargo de Promotor Público. Foi professor de química e física do Colégio Pedro II e da Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, na cadeira de moléstias de crianças. Foi Comissário de Higiene e Assistência Pública do Distrito Federal. Militar (Coronel Médico). Médico adjunto do Hospital de Misericórdia do Rio de Janeiro. Escreveu: “Da febre tifóide”, “Tratado elementar de Medicina Legal”, “Alucinações e Ilusões sobre o Ponto de Vista da Medicina Legal”, “Formulário Terapêutico”, “Moléstias simuladas e dissimuladas”, ”Peixes venenosos”, “Envenenamentos”, “Da urologia”, “Da Eletricidade”, ”Antropometria”, “Da loucura”, ”Magnetismo”, “Um cigano”. Faleceu em 14 de agosto de 1921, no Rio de Janeiro, com 68 anos.


JOAQUIM MAURÍCIO CARDOSO FILHO
Nasceu em 4 de agosto de 1910, em Capela/SE, filho de Joaquim Maurício Cardoso e Júlia da Silva Cardoso. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 5 de dezembro de 1936. Atuou no IAPETEC e Hospital Santa Isabel, como clínico e ginecologista. Faleceu em 26 de fevereiro de 1972, em Aracaju/SE, com 61 anos.


JORGE CABRAL VIEIRA
Nasceu em 29 de agosto de 1925, em Capela/SE, filho de Raul Dantas Vieira e Anita Guimarães Cabral. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1949. Fez curso de Higiene Mental e Psiquiatria Clínica no Rio de Janeiro, em 1953, especializando-se em psiquiatria. Escreveu, entre outros trabalhos, “Geografia das Doenças Mentais no Estado de Sergipe”, publicado no Boletim do Centro de Estudos do Hospital de Cirurgia em 1959. Classificou-se em primeiro lugar no concurso público do antigo IAPC para médico psiquiatra em 1954. Atuou em Capela/SE e Rosário do Catete/SE. Alienista-assistente do Serviço de Assistência a Psicopatas do Estado de Sergipe, tendo sido diretor interino. Professor de psicologia Infantil da Escola de Serviço Social e Diretor da Clínica Adauto Botelho. Fundou a Casa de Saúde São Jorge para doentes mentais. Foi membro do Conselho Deliberativo do IPH/SE. Secretário de Estado da Saúde de 1971 a 1975. Faleceu em Aracaju em 20 de abril de 1994, com 68 anos.


JORGE SILVA DOS SANTOS
Nasceu em 14 de abril de 1952, em Maceió/AL, filho de Rosalvo Lima dos Santos e Maria José Cardoso da Silva. Formou-se pela Faculdade de Ciências Médicas de Alagoas em 18 de dezembro de 1978. Atuou em Maruim/SE como médico do trabalho a partir de 1984. Faleceu em 18 de abril de 1998, em Maruim, com 46 anos.


JÓRIA RESENDE CRUZ
Nasceu em 6 de outubro de 1932, em Aracaju/SE, filha de Francisco Muniz Cruz e Violeta Rezende Cruz. Formou-se pela Escola Baiana de Medicina e Saúde Pública na Bahia, em 1958. Um ano após a formatura, fez estágio em pediatria no Hospital dos Servidores do Rio de Janeiro. Regressou para Aracaju no final de 1960, passando a atuar na ala infantil do Hospital de Cirurgia e na maternidade João Firpo, do Hospital Santa Isabel. Fez especialização em pediatria pela Sociedade Brasileira de Pediatria. Atuou no INAMPS, participando do Programa Especial de Pediatria – PEP, na Perícia Médica do INSS, no Posto Dona Jovem, onde permaneceu por muitos anos, no SAMDU e no Instituto de Assistência e Previdência dos Marítimos. Atuou ainda no Centro de Saúde Dra.Maria do Céu. Aposentou-se em 1991 e atualmente reside em Aracaju.


JOSAPHAT DA SILVEIRA BRANDÃO
Nasceu em 24 de outubro de 1880, em Estância/SE, filho do retratista Benjamim Francisco Brandão e da professora Maria Filonila da Silveira Brandão. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1902, defendendo a tese “Do Mycetoma”. Regressou para a cidade natal onde foi nomeado Delegado de Higiene, em 1903 e Inspetor de Ensino em 1906. Em 1911, atuou no surto de varíola em Laranjeiras. Em 1912 foi nomeado diretor do Atheneu Sergipense, permanecendo no cargo até 1916. Em 1913, passou a atuar na municipalidade de Aracaju. Combateu a febre palustre em Itaporanga em 1915. Em 1916, passou a atuar como professor catedrático de física e química da Escola Normal Rui Barbosa. Em 1930, foi nomeado membro do Conselho Penitenciário de Sergipe e em 1936 membro do Conselho de Educação. Em 1939, assumiu o Departamento de Saúde Pública de Sergipe. Atuou nos hospitais Santa Isabel e Cirurgia, em Aracaju e Amparo de Maria, em Estância, tornando-se sócio benemérito. Filatelista e numismático. Faleceu em 22 de agosto de 1969, em Aracaju, com 89 anos.


JOSÉ ADILSON DE CARVALHO VASCONCELOS
Nasceu em 19 de setembro de 1947, em Aracaju/SE, filho de José Leite de Vasconcelos e Maria Fontes de Carvalho Vasconcelos. Formou-se pela Faculdade de Ciências Médicas da UFS em 15 de dezembro de 1972. Realizou cursos de especialização em psiquiatria nos Estados Unidos da América, especialidade que atuou durante a sua vida. Faleceu em São Paulo, onde fazia tratamento no Incor, em 18 de novembro de 2005, com 58 anos.


JOSÉ AGNELO LEITE DE MELLO (Cazuza)
Nasceu em 14 de dezembro de 1851, em Salvador/BA, filho do médico José Leite de Mello Pereira e Carolina Feliciano Castilho. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 2 de dezembro de 1875, defendendo a tese "Qual o Melhor Tratamento da Hypoemia Intertropical". Quando ainda era sextanista de medicina, consorciou-se e terminados seus estudos foi fixar residência na cidade de Penedo/AL, onde durante 16 anos exerceu a medicina. Durante esse tempo, foi eleito deputado provincial de Sergipe e exerceu o cargo de Delegado de Saúde do porto da cidade de Penedo. Em julho de 1892 foi residir na cidade de Santa Rita do Passa Quatro/SP, tendo nessa ocasião recebido estrondosa manifestação dos habitantes da cidade de Penedo, que muito o admiravam. Em Santa Rita, durante muitos anos exerceu a profissão de médico e os cargos de delegado de higiene,inspetor escolar e juiz de casamentos. Como Inspetor Escolar, no tempo das escolas isoladas, desenvolveu um trabalho tão fecundo e persistente,que chegou a merecer o significativo qualificativo de “Protetor da Infância”. Por mais de dez anos foi diretor e prestou notáveis serviços no Hospital São Vicente de Paulo daquela cidade. Foi membro da Academia Santaritense de Letras. Faleceu em 5 de janeiro de 1919, com 68 anos de idade, na cidade de Santa Rita do Passa Quatro/SP, onde está sepultado.


JOSÉ AÍRTON DE ALMEIDA MARCOLINO
Nasceu em 21 de outubro de 1953, na cidade do Rio de Janeiro/RJ, filho de Arthur Manoel Marcolino e Josefa de Almeida Marcolino. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Universidade Fedral do Rio de Janeiro em 28 de fevereiro de 1980. Atuou como anestesista. Faleceu em 15 de agosto de 2000, em Aracaju, barbaramente assassinado, com 46 anos.


JOSÉ ALOYSIO ANDRADE
Nasceu em 29 de abril de 1913, em Japaratuba/SE, filho de Manuel Durval Andrade e Márcia Maciel Andrade. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 15 de dezembro de 1937. Retornando a Sergipe, ingressou no magistério como professor de Higiene Natural do Colégio Atheneu Sergipense. Em 1942 entrou para o Departamento de Saúde do Estado, como sanitarista e depois assumiu a diretoria do órgão. Em 1951 fez cursos de eletrocardiografia clínica e radiologia no Rio de Janeiro, na Faculdade Nacional de Medicina. Em 1954 foi admitido por concurso como clínico do IAPC, sendo nomeado em 1958 superintendente do órgão. Atuou também como gastroenterologista e cardiologista. Foi um dos fundadores da Faculdade de Medicina de Sergipe, como titular da cadeira de propedêutica médica. Dirigiu a Faculdade de Medicina em 1973. Em 1977 participou da comissão que elaborou o plano de política docente assistencial do futuro Hospital Universitário. Faleceu em 3 de abril de 1995, em Aracaju, com 82 anos.

JOSÉ ALVES DA SILVEIRA
Nasceu em 1º de junho de 1924, em Cristinápolis/SE, filho de Antônio Dionízio da Silveira e Marieta Alves da Silveira. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1951. De regresso a Sergipe, instalou-se em Itabaianinha, onde assumiu a direção clínica do Hospital São Luiz de Gonzaga, atuando ainda nas áreas de obstetrícia e clínica médica. Foi Prefeito Municipal de Itabaianinha de 1982 a 1988. Atualmente reside no município, onde permanece atuando no Programa de Saúde da Família, atendendo à população da cidade.

JOSÉ AMÉRICO SILVA FONTES
Nasceu em 19 de junho de 1936 em Aracaju/SE, filho de José Domingues Fontes e América Silva Fontes. Formou-se pela Escola Baiana de Medicina e Saúde Pública, tornando-se posteriormente professor assistente do Departamento Materno-infantil da instituição até se aposentar. Autor de nove livros: “Manual de Perinatologia”, “Perinatologia Social”, “Perinatologia, Ciência & Arte”, “Assistência Materno-Infantil”, “Lesão Cerebral-Causas e Prevenção”, “Obstetrícia para Pediatras & Pediatria para Obstetras”, “Assistência Preventiva ao Recém-nascido, para Parteiras & Agentes de Saúde”, “O Nascituro-Visão Interdisciplinar e Sentimentos” (Poesias) e “O Nascituro – visão multidisciplinar”, lançado em 2009. Inventor de cerca de 50 equipamentos de baixo custo e manuseio simples, destinados ao atendimento de recém-nascidos. Consultor de várias secretarias de saúde dos estados do Nordeste. Atuou ainda como pediatra no Hospital Irmã Dulce e bacharelou-se em direito em 2008, com 71 anos de idade. Fundador e presidente do Instituto José Américo Silva Fontes (IJASF), cujo objetivo é proteger e apoiar o binômio mãe-filho. Reside em Salvador.

JOSÉ ANTÔNIO DE ABREU FIALHO
Nasceu em 20 de janeiro de 1874 em Aracaju/SE, filho de Tito de Abreu Fialho, delegado fiscal da União e Maria José de Abreu Fialho. Bacharel em Ciências e Letras pelo Imperial Colégio Pedro II, depois matriculou-se na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, recebendo o grau de doutor em 16 de janeiro de 1897, defendendo a tese “A oculística perante a patologia: perturbações oculares nas moléstias cerebrais”. Fez especialização em Viena na clínica do Dr. Fuchs. Foi um dos fundadores da SBO ( Sociedade Brasileira de Oftalmologia) em 6 de setembro de 1922. Catedrático de Oftalmologia da Faculdade de Medicina e Farmácia do Rio de Janeiro, sendo seu diretor por quatro anos. Fundador da cadeira 71 da Academia Nacional de Medicina. Durante a sucessão de Graccho Cardoso no Governo de Sergipe, o Presidente Arthur Bernardes procurou um sergipano ilustre e não envolvido com as disputas políticas locais. A personalidade consultada foi o Dr. Fialho, que de pronto não aceitou, alegando não querer deixar as atividades clínicas. Com a recusa de Fialho, o escolhido foi o diplomata Ciro Franklin de Azevedo. Faleceu em 17 de março de 1940 no Rio de Janeiro/RJ, com 66 anos.


JOSÉ ANTONIO RIBEIRO DE ARAÚJO
Nasceu em 13 de março de 1840 em Estância/SE, filho de Antônio Ribeiro de Araújo e Anna Joaquina do Nascimento Ribeiro. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 16 de dezembro de 1873, defendendo a tese “Queimaduras”. Foi Segundo Tenente militar do Exército e deputado estadual por Alagoas de 1880 a 1883. Atuou na Vila do Espírito Santo, Sergipe, durante a epidemia de cólera. Faleceu em 22 de outubro de 1909, em Santo Antônio da Glória/BA, com 69 anos.


JOSÉ AUGUSTO BEZERRA
Nasceu em 19 de março de 1938, em Japaratuba/SE, filho de Aquino Marques Bezerra e Tereza Pina Bezerra. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Universidade Católica de Salvador em 1965, sendo laureado com o título de honra ao médico por tido sido o aluno com a maior média de toda a sua turma durante os seis anos de estudo. Especializou-se em cirurgia geral, atuando em hospitais de Salvador, principalmente o Santa Isabel. Em 1967 regressou a Aracaju, onde atuou nos principais hospitais da cidade. Fez pós-graduação em música em 1990, na Escola de Música da Universidade Católica, atuando também como regente de corais. Faleceu
 em 22 de junho de 2010, em Aracaju, com72 anos, sendo sepultado em 23 de junho de 2010, no Cemitério Santa Isabel, em Aju-SE.

JOSÉ AUGUSTO CORREA SANTOS
Nasceu em 31 de janeiro de 1949, em Japaratuba/SE, filho de Milson Rosa Santos e Melania Correa Santos. Formou-se pela Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Federal de Sergipe em 30 de dezembro de 1981. Atuou no Hospital São José em Japaratuba/SE. Faleceu em 13 de janeiro de 2005, em Aracaju, com 55 anos.

JOSÉ CALUMBY FILHO
Nasceu em 6 de agosto de 1947, em Ilha das Flores/SE, filho de José Felinto Calumby e Leontina Gonçalves Calumby. Formou-se pela Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Federal de Sergipe em 13 de dezembro de 1974. Angiologista e cirurgião vascular. Fez pós-graduação nas especialidades na Escola Paulista de Medicina e foi o primeiro sergipano com Mestrado em Cirurgia Vascular. Foi professor da Faculdade de Medicina da UFS e membro fundador do Capítulo Sergipano do Colégio Brasileiro de Cirurgiões. Presidiu a Sociedade Sergipana de Cirurgia Vascular. Dirigiu o Hospital Universitário na gestão do reitor Clodoaldo Alencar Filho. Atuou no Hospital Gov.João Alves Filho nas primeiras fases de sua implantação. Foi Superintendente do INAMPS. Participou de diversas diretorias da Sociedade Médica de Sergipe, destacando-se sobremodo na diretoria do recém-criado Departamento de Convênios na gestão de Lúcio Antonio Prado Dias na SOMESE, atuando com grande dedicação e forte liderança. Faleceu inesperadamente à bordo de um avião comercial quando regressava de uma viagem à Europa, em férias com a família, em 1º de fevereiro de 1998, com 50 anos.


JOSÉ CÂNDIDO DE FARIA
Nasceu em 20 de janeiro de 1803, em Salvador/BA. Em 1822, com 19 anos de idade, foi enviado pelo pai para a França, para estudar medicina. Formou-se em 29 de julho de 1829 pela Faculté de Médicine de Montpellier, a mais antiga da Europa, que teve como professores celebridades como François Rebelais, Antoine Portal ( médico do rei Luiz XVII), entre outros. Anos após a formatura, passou a atuar em Laranjeiras/SE, onde fundou o primeiro hospital da cidade – o Hospital de Caridade Senhor do Bomfim, ao lado de Francisco Alberto de Bragança. Casou-se com Josefa María-Aragonez e com ela teve quatro filhos, entre eles Cândido José Aragonez Faria, que se destacou internacionalmente como artista plástico. Faleceu com 52 anos em 5 de novembro de 1855 em Laranjeiras/SE, de cólera morbus, enfermidade que havia descrita em sua tese na famosa faculdade francesa e que dizimou milhares de vidas em Laranjeiras, algo em torno de quatro mil óbitos ( quase a metade da população da cidade).


JOSÉ CARLOS DE SOUSA SILVA
Nasceu em 27 de fevereiro de 1947, em Riachuelo/SE, filho de Josafá Silva e Maria Amélia Silva. Formou-se pela Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Federal de Sergipe em 19 de dezembro de 1975. Atuou na clínica pediátrica e na Fundação Nacional de Saúde. Faleceu em 30 de novembro de 1999, com 52 anos.

JOSÉ CORREIA DE MELLO BITTENCOURT
Nasceu em 22 de dezembro de 1859, em São Cristóvão/SE, filho de José de Mello Bittencourt e Maria Diniz de Mello Bittencourt. Recebeu o grau de doutor pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1882, com a tese “Da influência do curativo de Lister nas septicemias cirúrgicas”. Especializou-se em oftalmologia na clínica Wecker em Paris. Foi membro da Sociedade Francesa de Oftalmologia. Regressou ao Rio de Janeiro, passando a realizar uma clínica itinerante, visitando várias regiões do Brasil. Escreveu diversos ensaios sobre oftalmologia, em sua passagem por São Luis, no Maranhão. Publicou em 1889 “Estados Patológicos do Organismo e suas manifestações oculares”. Faleceu em 5 de junho de 1900, com 40 anos.


JOSÉ CUPERTINO DE OLIVEIRA SAMPAIO
Nasceu em 18 de setembro de 1814 no Engenho Santa Ana, em Nossa Senhora do Socorro/SE, filho do Major José de Oliveira Reis Sampaio e Anna Rita de Oliveira. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 20 de dezembro de 1841, defendendo a tese “Dissertação sobre as idades em geral e a velhice do homem em particular”. Pouco exerceu a medicina, atuando na política, cuidando de sua fazenda. Deputado provincial (1848-49), Diretor do Instituto Sergipano de Agricultura. Faleceu em 6 de janeiro de 1861, em Riachuelo/SE , com 47 anos.


JOSÉ DANTAS DE SOUSA LEITE
Nasceu em 10 de maio de 1859 em Santa Luzia/SE, filho de José Sizenando Leite e Francisca Xavier Dantas de Sousa Leite. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1880, defendendo a tese “Herança mórbida”. Em 1890 diplomou-se novamente, agora pela Faculté de Medicine de Paris. Trabalhou no serviço do Prof. Jean Martin Charcot, famoso neurologista francês, onde se especializou. Relacionou-se diretamente com o prof. Pierre Marie, neurologista, descobridor da doença que descreveu como acromegalia. Escreveu, entre outros: “Leçon sur l’acromegalie”, “De l’acromegalie, maladie de P. Marie”, que foi a sua tese para o doutorado em medicina pela Faculté de Medicine de Paris, inclusive citado por Victor Cornelius Medvei, no seu livro The History of Endocrinology, obra prima da historiografia médica, pela extraordinária descrição da doença. Publicou ainda “Novos estudos sobre a histeria”, “Pathologie nerveuse”, entre outras. Foi membro da Anthropological Society e sócio da Médico-Psychollogical Society, sendo o primeiro brasileiro a contribuir, no exterior, para o conhecimento das doenças hipofisárias e consequentemente para o desenvolvimento da endocrinologia a nível mundial. Ele também foi citado no livro História Geral da Medicina Brasileira, vol.2, de Lycurgo Santos Filho. Retornando à Bahia, abriu consultório e se candidatou à cátedra de Psiquiatria na Faculdade de Medicina para substituir o primeiro ocupante da mesma, Augusto Freire Maia Bittencourt. Venceu o concurso contra João Tillemont Fontes, baiano ilustre. Para sua decepção, o Marechal Deodoro da Fonseca, chefe do Governo Provisório da República em 1890, nomeou o baiano. Desgostoso com o desfecho, transferiu-se para o Rio de Janeiro onde passou a clinicar e residir com a família, até falecer em 1925.

JOSÉ DE BARROS PIMENTEL
Nasceu em 17 de maio de 1817, em Maruim/SE, filho de José de Barros Pimentel e Maria Victória de Almeida Barros. Formou-se pela Faculté de Médicine de de Paris, em 1841. Deputado geral por várias legislaturas. Foi um dos políticos mais importantes da corrente liberal em Sergipe, nos tempos da monarquia. Sobrinho do Comendador Sebastião Gaspar Almeida Boto. Apelidado de “Canário de Sergipe”, pois se vestia de calças amarelas e colete de botões dourados, possuindo uma voz estridente. Fundou e dirigiu por muitos anos o Banco da Bahia. Era sócio-correspondente do IHGB, foi condecorado com a Ordem da Rosa. Redigiu: “O Liberal” (Aju, 1868). Não exerceu a medicina na sua plenitude em função da política. Faleceu em 6 de maio de 1893, no Rio de Janeiro, com 76 anos.

JOSÉ FREITAS LEITÃO
Nasceu em 2 de fevereiro de 1902, em Santa Luzia/PI, filho de Leopoldino Artur da Silva Leitão e Antônia de Freitas Leitão. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 11 de março de 1928. Atuou em Maruim/SE, na década de 50 como cirurgião e diretor do Hospital de Caridade da cidade. Foi deputado estadual e militante do Partido Comunista Brasileiro. Faleceu em 23 de abril de 1988 em Maruim/SE, com 87 anos.

JOSÉ EVILÁSIO LIMA
Nasceu em 1965 em Macambira/SE, filho de José Élio Lima e Emília Oliveira Lima. Formou-se pela Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Federal de Sergipe em 1989, especializando-se em pediatria. Conselheiro do CREMESE por mais de 10 anos, exerceu o cargo de vice-presidente do Sindicato dos Médicos e de vice-presidente da Associação dos Médicos Espíritas do Estado de Sergipe. Foi o primeiro presidente desta entidade e um dos maiores propagadores da fé espírita em Sergipe. Cooperado da Unimed, foi coordenador do Conselho Fiscal da entidade. Atuava no Hospital Governador João Alves Filho, com participações na diretoria da Associação dos Médicos dessa instituição. Pertenceu à Sociedade Sergipana de Pediatria, onde atuou também na sua diretoria. Faleceu em Aracaju em 9 de julho de 2006, com 41 anos
.

JOSÉ FERNANDES DE MAGALHÃES
Nasceu em 23 de outubro de 1861, em Estância/SE, filho do famoso leprologista José Lourenço de Magalhães e Luiza Fernandes de Magalhães e irmão do médico Eduardo Fernandes de Magalhães. Aos três anos de idade foi a Portugal viver com o avô paterno e nunca mais retornou a Sergipe. Formou-se pela Universidade de Coimbra, em 1886. Não defendeu tese, pois a Universidade não exigia, sendo Bacharel em Medicina. Especializou-se em pediatra em Paris, indo atuar na cidade do Porto. Foi professor da cadeira de psiquiatria forense e depois de neurologia da Faculdade de Medicina do Porto. Escreveu “Estabelecimentos Hidrológicos de Pedras Salgadas”, “Casa: Hospício do Porto”, “Ictos Afásicos”, “Alucinações Autoscópicas” e “Idiotia Amaurótica Familiar”. Faleceu em 2 de janeiro de 1927, na cidade do Porto, em Portugal, com 65 anos.

JOSÉ FRANCISCO DA SILVA MELLO
Nasceu em 16 de março de 1853 em Capela/SE, filho de Manoel José de Mello e Ritta Maria da Silva Mello. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em dezembro de 1880, defendendo a tese “Considerações sobre o aborto”. Foi militar, atuando em diversos estados. Faleceu em 24 de dezembro de 1926, em Aracaju, com 73 anos.

JOSÉ HERMENEGILDO PEREIRA GUIMARÃES
Nasceu em em 22 de agosto de 1854 em Capela/SE , filho de Antônio José Pereira Guimarães e Colecta Maria da Silva Guimarães. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 24 de janeiro de 1880. Republicano histórico, participou ativamente do movimento pela sua instalação em Laranjeiras. Migrou para São Paulo em 1882, indo trabalhar como clínico-geral em Bragança/SP. Fundou o Partido Republicano local, foi vereador em Bragança de 1889 a 1890, deputado constituinte em 1892, por São Paulo. Atuou como jornalista. Escreveu: “A máquina de costura de pedal”, “O aposento do enfermo”, “O cemitério”, ”Ao tratamento da Coréia pelas pulverizações etéreas”. Foi redator dos jornais: “Gazeta de Bragança” (Bragança/SP), “Gazeta Republicana” (Bragança/SP), “O Republicano” (Bragança/SP).

JOSÉ HONORINO DE OLIVEIRA
Nasceu em 28 de março de 1864, em Aracaju/SE, filho de José Honório dos Santos e Maria Anacleta de Oliveira. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 11 de dezembro de 1888, defendendo a tese “Tratamento antisséptico nas amputações”. Trabalhou em Aracaju como delegado de polícia (1889-1890). Entrou para o corpo de saúde do Exército como médico adjunto com as honras de tenente. Nomeado por decreto de 25 de maio e empossado a 14 de julho de 1896, manteve-se no Rio Grande do Sul, permanecendo no posto até o seu falecimento em Alegrete, em 25 de dezembro de 1902, com 38 anos.

JOSÉ IGNÁCIO DE BARROS PIMENTEL
Nasceu em 26 de julho de 1832 em Maruim/SE, filho de José de Barros Pimentel e Maria Victoria de Almeida Barros. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1857 defendendo a tese “Ação dos eflúvios pantanosos”. Atuou na Guerra do Paraguai (1865) como médico-naval e trabalhou em Montevidéu. Recebeu a comenda Ordem de Cristo. Chegou a ser deputado estadual (1860-1861). Faleceu no Rio de Janeiro em 29 de setembro de 1888, com 56 anos.

JOSÉ JOÃO DE ARAÚJO LIMA
Nasceu em 1832 em Salvador/BA e formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1852. Entrou para o corpo de saúde do Exército, transferindo-se para Sergipe a partir de 1860, onde alcançou grande notoriedade. Ao lado do colega médico Guilherme Pereira Rebelo, participou da fundação do Liceu Sergipano, de vida efêmera. Em 11 de janeiro de 1866 foi nomeado inspetor geral das Aulas Públicas (cargo equivalente ao atual Secretário de Educação). Foi ainda deputado provincial em Sergipe nas legislaturas de 1864 a 1865 e de 1868 a 1869. Faleceu em 22 de setembro de 1876, na cidade de Aracaju/SE, com 44 anos.

JOSÉ LEITE DE MELO PEREIRA
Nasceu em 20 de julho de 1828, em Vila Nova, atual Neópolis/SE, filho do coronel Manuel Leite Sampaio e Guilhermina Carolina de Novais Leite e pai dos médicos Hormindo Mello Leite eJosé Agnelo Leite de Mello. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 17 de dezembro de 1853, defendendo a tese “Breves considerações sobre a educação física e moral dos meninos”. De volta ao seio da família, pouco tempo depois, dedicou-se à lavoura, consagrando seus melhores esforços da medicina apenas para servir a amigos e parentes e à numerosa pobreza da zona em que residia e onde prestou relevantes serviços durante a epidemia do cholera-morbus em 1862. Membro de notável família, cujo chefe, o Barão de Cotinguiba, por muito tempo influiu nos destinos políticos e administrativos da província. Exerceu as funções de comissário vacinador e por diversas vezes foi suplente do juiz municipal de Vila Nova. Faleceu em 3 de junho de 1895, na cidade de Santa Rita do Passa Quatro/SP, com 66 anos.

JOSÉ LEITE PRIMO
Nasceu em 21 de julho de 1927, em Aurora/CE, filho de Barnabé Leite Teixeira e Maria Leite Gonçalves. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Pernambuco em 1955. Prestou serviço militar como médico e iniciou sua vida profissional em São José do Belmonte/PE. Em 1959 ingressou no Ministério da Saúde quando se estruturava a Campanha de Erradicação da Malária (CEM) e já como médico sanitarista assumiu a CEM em Sergipe, de 1964 a 1971, conquistando a erradicação da enfermidade no Estado. De 1971 a 1979, assumiu a Diretoria Regional da então Superintendência de Campanhas de Saúde Pública (SUCAM). Assumiu a diretoria geral de erradicação e controle de endemias da SUCAM (DECEM), em Brasília, especializando-se em Medicina Tropical pela UNB. Em seu retorno a Sergipe, reassumiu a SUCAM, de 1985 a 1988, quando de sua aposentadoria. Ao especializar-se em medicina e higiene do trabalho pela Universidade de São Paulo/USP, a

JOSÉ LINO DA CRUZ
Nasceu em 23 de julho de 1945, em São Sebastião do Passé/BA, filho de José Firmo da Cruz e Maria Teodora da Cruz. Formou-se pela Escola de Medicina e Saúde Pública da Universidade Católica do Salvador em 3 de dezembro de 1975. Atuou em Poço Verde/SE e no Hospital São Vicente de Paula em Tobias Barreto/SE. Faleceu em 7 de abril de 2000, com 54 anos.
 
JOSÉ LOURENÇO DE MAGALHÃES
Nasceu em 11 de setembro de 1831, em Estância/SE, filho do comerciante português Romão Lourenço de Magalhães e Antonia Isabel Fernandes e pai dos médicos Eduardo Fernandes de Magalhães e José Fernandes Magalhães. Recebeu o grau de doutor pela Faculdade de Medicina da Bahia em 15 de abril de 1856, defenden¬do a tese “Como reconhecermos que o cadáver morreu de afogamento? ” Oftalmologista, também foi especia¬lista, com reconhecimento internacional, em lepra. Dirigiu o serviço de oftalmologia da Casa de Saúde N. S. da Ajuda, no Rio de Janeiro. Trabalhou como oftalmologista ainda em Estância e Laranjeiras, em Sergipe, além de Salvador e São Paulo, onde foi diretor do Hospital dos Lázaros na Colônia de Guarapira. Deu nome à Colônia (Leprosário) de Sergipe. Escreveu vários ensaios sobre oftalmologia: “De l’intoxication porduite par l’instillation dans l’oeil du collyre d’atropine”, in Gazette dês Hospitaux, “Novo processo da operação do simbléfaro (aderên¬cia da pálpebra)” in Gazeta Médica da Bahia; “Da Kistiotomia, Cistotomia (abertura do cristalino)”.  Presidente da Academia Nacional de Medicina (1895 - 1896). É patrono da Academia Sergipana de Letras. Faleceu em 23 de novembro de 1905, em São Paulo , com 74 anos.
 
JOSÉ LUCIANO DE SIQUEIRA
Nasceu em 20 de dezembro de 1950, em Itabaiana/SE, filho de Antonio Moreira de Siqueira e Anete Ferreira de Siqueira. Formou-se pela Faculdade de Ciências Médicas da UFS em 1974. Especializou-se em anestesiolo¬gia. Faleceu em 25 de julho de 1976, com 26 anos, vítima de acidente automobilístico.

JOSÉ MACHADO DE SOUZA
Nasceu em 22 de janeiro de 1912, em Aracaju/SE, filho de Gervásio de Araújo Souza e Laura Machado Souza. Iniciou o curso de medicina na Faculdade de Medicina da Bahia em 1929, transferindo-se para a Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, formando-se em 26 de novembro de 1934. Iniciou seu trabalho na clínica pediá¬trica em Aracaju, tendo se destacado na especialidade. Fundador e presidente da Sociedade Médica de Sergipe (1948-1950/1954-1955) e da Sociedade Sergipana de Pediatria. Foi vice Governador do Estado de 1955 a 1959, Secretário Estadual de Saúde, de 1979 a 1982. Na sua administração foi implantado em Sergipe o HEMOSE (Centro de Hemoterapia). Foi fundador e professor da Faculdade de Medicina de Sergipe, médico do INAMPS, Diretor do Hospital Infantil do Hospital de Cirurgia e do Hospital Santa Isabel, de 1937 a 1980. Faleceu em 25 de março de 1997, em Aracaju, com 85 anos.

JOSÉ MARIA PINTO BARCELLOS
 Nasceu em 20 de setembro de 1931, em Campos/RJ, filho de Roldão Alves Barcellos e Maria José Pinto de Souza Barcellos. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Universidade do Brasil em 13 de janeiro de 1956. Especializou-se em Patologia e atuou em Sergipe pouco tempo. Faleceu em 20 de janeiro de 1998, com 66 anos de idade, no Rio de Janeiro.
 
JOSÉ MARIA RODRIGUES SANTOS
Nasceu em 12 de abril de 1929, em Aracaju/SE, filho de Zoroastro Rodrigues Santos e Zilda Rodrigues. Médico graduado pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1953. Foi professor da UFS, cronista, jornalista. Professava a fé espírita. Publicou diversos trabalhos científicos entre eles, “Principais Elementos Semióticos para Diagnóstico Etiológico nas Neoplasmas Malignas do Estômago; “Radiologia no Diagnóstico Diferencial entre Lesões Benignas e Malignas do Estômago”; “ Da Correlação Clínico-Radiológica na Propedêutica da Vesícula Biliar”e“Tuberculose Pulmonar e Gestação”. Foi presidente do Sindicato dos Médicos de Sergipe e um dos  fun¬dadores da Unimed. Pertenceu à Academia Sergipana de Letras e foi membro fundador da Academia Sergipana de Medicina. Fundou e dirigiu por muitos anos, a Clínica Radiológica “Itazil Benício dos Santos”. Integrou o serviço de radiologia do Hospital Santa Isabel. Foi professor universitário na disciplina de Radiologia. De temperamento afirmativo, constituiu-se numa liderança médica arrojada, quando o assunto versava sobre a defesa da profissão. É patrono da Academia Maçônica de Sergipe. Faleceu em 30 de julho de 1997, em Aracaju, com 68 anos.
 
JOSÉ MENDONÇADE ALMEIDA
Nasceu em 30 de abril de 1901, em Maceió/AL, filho de Joaquim Antônio de Almeida e Amélia Mendonça. Em 1920 seguiu para o Rio de Janeiro onde ingressou na Faculdade de Medicina, diplomando-se  em 1925. Após a formatura ingressou no serviço público, sendo nomeado diretor do departamento de lepra e doenças venéreas do serviço de saneamento e profilaxia rural do Espírito Santo. Em 1927, foi transferido para Alagoas, sendo nomeado chefe da profilaxia rural. Em 16 de outubro de 1937, foi nomeado pelo governador de Sergipe para
o Departamento de Saúde Pública. A partir de sua vinda para Sergipe, exerceu diversas funções na saúde públi¬ca do estado. Diretor do Centro de Saúde Serigy, delegado federal de saúde, diretor do Serviço Nacional de Malária e médico da Junta Oficial do Estado. Foi sócio efetivo da Sociedade Médica de Sergipe. Faleceu em Aracaju, em 7 de dezembro de 1967, com 61 anos.
 
 
JOSÉ MOREIRA DE MAGALHÃES
Nasceu em 27 de julho de 1857 em Estância/SE, filho de Joaquim Moreira de Magalhães e Emília Barbosa de São Calixto e irmão do médico João Moreira de magalhães. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 15 de dezembro de 1883, defendendo a tese “Hematúria endêmica dos países quentes”. Trabalhou em Capela/SE, Aracaju (Hospital Santa Isabel) e Penedo/AL. Foi um dos fundadores do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe. Professor catedrático de geografia do Colégio Atheneu. Foi o primeiro médico da Intendência Municipal de Aracaju em 1911. Atuou no Serviço de Verificação de Óbitos. Faleceu em 8 de junho de 1913, em Aracaju/SE, com 56 anos.

JOSÉ NAILSON MOURA  - nasceu em 19 de outubro de 1960 em Riachuelo/SE, filho de Adalberto Moura e Maria Salvelina Moura. Formou-se pela Faculdade de Ciências Médicas da UFS em 19 de fevereiro de 1990. Atuou em várias cidades sergipanas, inicialmente em Tobias Barreto, depois em Itabaianinha, Umbaúba, Cristinápolis, Laranjeiras, Lagarto, entre outras. Foi Secretário de Saúde do Município de Riachão do Dantas e por duas vezes candidatou-se a cargos políticos, deputado federal em 2002 e prefeito de sua cidade natal, Riachuelo, sem sucesso. Em Aracaju atuou no Hospital Cirurgia e Hospital da Polícia Militar – HPM. Faleceu em Aracaju, em 20 de junho de 2012, com 51 anos.

JOSÉ NELSON RAIMUNDO BARBOSA DOS SANTOS
Nasceu em 5 de setembro de 1954, em Estância/SE, filho de Raimundo Permínio dos Santos e Josefa Barbosa. Formou-se pela Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Federal de Sergipe em 8 de fevereiro de 1985. Exerceu a clínica geral. Faleceu de tuberculose óssea em 1992.
 
JOSÉ NUNES SOBRAL LEITE
Nasceu em 23 de setembro de 1863 em Capela/SE filho de Antônio José de Barros Leite e Emerenciana Rosa Sobral Leite. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 23 de julho de 1888, defendendo a tese “Estudo clínico dos phenomenos nervosos do diabetes”. Faleceu em 2 de dezembro de 1922, em Aracaju/SE , com 59 anos.
 
JOSÉ OLINO DE LIMA NETO
Nasceu em 2 de janeiro de 1900, no engenho Tuim do município de Arauá/SE, filho de João Epifânio de Lima Neto e Maria Joaquina de Andrade Lima. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1929, defenden¬do a tese “Profilaxia do Sezonismo”.  Em meados de 1930, passou a clinicar na cidade sergipana de Itabaianinha, mudando-se logo em seguida para Simão Dias/SE. Atuou também na cidade de Lagarto/SE. Em 1938 fixou resi¬dência em Aracaju e começou a dedicar-se integralmente ao magistério. Especializado em ginecologia e obste¬trícia, a atividade do magistério foi, certamente, a que mais o absorveu. Foram 41 anos de dedicação ao ensino e teria morrido na cátedra se a aposentadoria compulsória não o impedisse de continuar lecionando. Em 1938 publicou sua segunda tese, “Notas Filológicas à margem das Vinte Horas de Liteira de Camilo Castelo Branco”, através de cuja defesa conquistou a Cátedra de Português no Atheneu Sergipense. Em 1973, publicou o primei¬ro volume das “Fábulas em Versos”. Foi membro da Academia Sergipana de Letras. Faleceu em 27 de fevereiro de 1985, em Aracaju, com 85 anos.
 
JOSÉ PEREIRA CARRERA
Nasceu em 12 de novembro de 1925, na Espanha, imigrando ainda criança para o Brasil. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1950. Trabalhou como anestesista no Hospital de Clínicas da faculdade, tendo sido chefe do serviço de anestesia do Hospital Santa Isabel ( Santa Casa de Misericórdia da Bahia), nos anos de 1954 e 1955. Foi o primeiro anestesista de Sergipe a possuir o Título de Especialista em Anestesiologia, obtido durante o V Congresso Brasileiro da especialidade ocorrido em Recife. Introduziu a técnica de anestesia epidural em nosso meio. A partir de 1972 deixou a especialidade e passou a praticar condutoterapia. Escreveu: “ Auto Terapia das Neuroses  e Distúrbios Emocionais”. Faleceu em 19 de julho de 1994, em Aracaju , com 68 anos.
 
JOSÉ PEREIRA GUERRA
Nasceu em 30 de abril de 1929, em Murupé, antigo Sapé, situado no município de Vicência/PE, filho de Salvino Gonçalves Guerra e Maria José Pereira Guerra e irmão do médico Salvino Pereira Guerra. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Pernambuco em 1959. Após a formatura foi contratado pela Fundação Sesp, tranferindo-se dois anos depois para Sergipe, instalando-se inicialmente na cidade de Propriá e depois atuando em vários municípios: Muribeca, Pacatuba, Rosário do Catete, Santo Amaro, Carmópolis, General Maynard, Capela, Estância, Indiaroba, Cristinápolis. Com a extinção da Fundação Sesp, passou a atuar no Programa de Saúde da Família na cidade de Brejo Grande a atualmente exerce a profissão em Feira Nova/SE.

JOSÉ PINTO DE CARVALHO
Nasceu em 25 de junho de 1864, no engenho São Francisco, no município de Nossa Senhora do Socorro/SE, filho de Cândido Pinto de Carvalho e Clara Júlia Pinto de Carvalho. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em dezembro de 1890 defendendo a tese “Hemorragias puerperais”. Clinicou em Carmo do Rio Claro/MG, onde fun¬dou o Parthenon Sul Mineiro. Foi clínico geral e Inspetor Escolar em Pouso Alegre/MG e em seguida fixou residên¬cia em Passos/MG, aonde veio a falecer em 9 de dezembro de 1929, com 65 anos.
 
 
JOSÉ RAIMUNDO DE ARAGÃO
Nasceu em 22 de agosto de 1953, em Itabi/SE, filho de Francisco Ferreira de Aragão e Maria Marina Aragão. Formou-se pela Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Federal de Sergipe em 22 de dezembro de 1977. Atuou como clínico geral e médico do trabalho na cidade de São Cristóvão/SE, tendo sido diretor do Hospital Nosso Senhor dos Passos, nesta cidade. Faleceu em 14 de julho de 2007, em São Cristóvão, com 55 anos.
 
JOSÉ RESENDE
Nasceu em 9 de junho de 1916 em Aracaju/SE, filho de Guilhermino Resende e Maria da Conceição Resende. Iniciou o curso médico na Faculdade de Medicina do Recife e se formou pela faculdade de Ciências Médicas da Universidade Federal de Sergipe em 1970. Exerceu as especialidades de clínico geral e de médico do trabalho. Chefiou as equipes de dedetização do baixo São Francisco, pelo Serviço Nacional de Malária. Dirigiu o  Posto de Urgência do INPS e o posto 522-432 do INPS. Médico credenciado do INAMPS, do Banco do Brasil e do Banco do Estado de São Paulo. Médico da Secretaria de Saúde do Estado de Sergipe, do Departamento de Estradas e Rodagens e dirigiu ainda a Comunidade Assistencial Sindical de Sergipe. Presidiu a Sociedade Médica de Sergipe de 29 de dezembro de 1983 a 4 de outubro de 1985. Faleceu em 7 de setembro de 2005, em Aracaju , com 89 anos.

JOSÉ RODRIGUES BASTOS COELHO
Nasceu em 25 de novembro de 1889, em Aracaju/SE, filho do industrial José Rodrigues Bastos Coelho (criador da Bandeira de Sergipe) e Maria dos Anjos do Espírito Santo. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 18 de dezembro de 1913, defendendo a tese “Defesa da maternidade”. Trabalhou em várias cidades de Minas Gerais. Foi um dos fundadores da Cruz Vermelha de Santos. Higienista e médico do corpo de saúde do Exército Nacional. Colaborou para os jornais “Diário de Santos”,“Tribuna” (Santos/SP), “Estado de Sergipe”, “Correio de Aracaju”,“Gazeta do Povo”,“O Araguary”. Escreveu: “Os contrastes na praia Grande”, “Saneamento do interior”,“A medicina pelo poder da nossa pátria”, “Pela miséria dos brasileiros”. No primeiro governo de Augusto Maynard (1931), foi diretor do departamento de saúde pública do Estado de Sergipe. Faleceu em 12 de julho de 1932 no Rio de Janeiro com 42 anos.
 
JOSÉ RODRIGUES DA COSTA DÓRIA
Nasceu em 25 de junho de 1859, em Propriá/SE, filho de Gustavo Rodrigues da Costa Dória e Maria Soledade Costa Dória e irmão do médico João Rodrigues da Costa Dória. Fez os preparativos no Atheneu Sergipense e for¬mou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 16 de dezembro de 1882,  defendendo a tese “Das febres palu¬dosas tífica”. Exerceu a clínica em Laranjeiras de 1883 a 1885, retornando à Bahia para concorrer à cadeira de Adjunto de medicina legal e toxicologia, sendo aprovado em primeiro lugar na Faculdade de Medicina da Bahia. Em 1892 foi nomeado professor lente catedrático de botânica e zoologia. Foi também professor de medicina legal da Faculdade de Direito da Bahia. Governador de Sergipe (1908 – 1911), deputado federal por quatro legis¬laturas a partir de 1897 e deputado Constituinte em 1933, Professor emérito das faculdades de Medicina e de Direito da Bahia, da qual foi um dos fundadores. Sócio-honorário do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe e membro-correspondente da Academia Nacional de Medicina. Escreveu: “Veneno e envenenamento”,“O segre¬do da longevidade”, “Um capítulo de patologia nervosa”, “O nariz”, ”As previsões do gênio”, “Os cabelos: estudo antropológico”, “A calvície”, “Euthanasia”, “Hamleto são”,“Toxina e crime”, “Estrada de ferro Timbó-Propriá”, “Os fuma¬dores de maconha: efeitos e males do vício”, “Regulamentação do meretrício”. Colaborou para os jornais “O Estado de Sergipe”, “Jornal do Commercio” e “Diário da Manhã”. Empresta seu nome ao Hospital Regional de Itabaiana. Faleceu em 14 fevereiro de 1938, na Bahia, com 78 anos. 
 

JOSÉ SIZENANDO AVELINO PINHO
Nasceu em 7 de Janeiro de 1823 na Ilha dos Bois, hoje cidade de Ilha das Flores, à época município de Vila Nova, filho de Pedro José de Pinho e D. Anna Joaquina do Sacramento Pinho. Ingressou no curso da Faculdade de Medicina da Bahia em 1844 e colou grau em 13 de dezembro de 1849, tendo defendido em 28 de Novembro daquele mesmo  ano a tese "Ensaio sobre a topografia histórica, física e médica da cidade de Penedo". Depois de formado passou a  clinicar em Alagoas e anos depois mudou-se para o Rio de Janeiro onde se casou, em 1860, com D. Ana Cândida Lopes Martins de Avelino Pinho tornando-se deputado por quatro legislaturas. Comendador e fazendeiro em Cantagalo, no Rio de Janeiro, faleceu na Fazenda Benfica, em Cantagalo/RJ, em 16 de junho de 1882, com 59 anos.

JOSÉ TELLES DE MENEZES
Nasceu em 12 de fevereiro de 1851 em Laranjeiras/SE, filho de Manuel Telles de Menezes e Maria de São José Telles. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1878 defendendo a tese “Dos bromure¬tos sua acção physiologica e therapeutica: dissertação”. Foi prefeito de Guarará/MG, onde faleceu em 24 de julho de 1916, com 65 anos.
 
JOSÉ THOMAZ D’ÁVILA NABUCO
Nasceu em 1º de outubro de 1890 em Arauá/SE, filho de João Maria de Araújo Nabuco e Maria Luiza D’Ávila Nabuco. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 24 de dezembro de 1914 defendendo a tese “Desconhecimento da aptidão física para o serviço militar”. Atuou em Tubarão/SC, Maruim e Aracaju/SE, obstetra da Maternidade Francino Melo desde a sua fundação, fez o segundo parto da história do Hospital de Cirurgia. Foi médico do SAMDU, da Caixa dos Ferroviários, da Fundação Manoel Cruz e da Maternidade João Firpo. Foi diretor da Saúde Pública (Secretário da Saúde) durante a segunda parte do governo de Leandro Maciel. Presidiu a Sociedade Médica de Sergipe (1958-1960) e foi um dos fundadores e primeiro presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado de Sergipe, em 1958 e razão disso obtendo o registro de núme¬ro um, mas faleceu logo no início do mandato em 22 de fevereiro de 1959, com 69 anos, sendo substituído por seu vice Antonio Garcia Filho. É patrono da cadeira vinte da Academia Sergipana de Medicina.

JOSÉ VICENTE DE SOUZA NETO
Nasceu em 31 de janeiro de 1869 em Itabaianinha/SE, filho de Francisco Cedro da Silveira e Maria Florentina de Souza Silveira. Formou-se pela  Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1890 defendendo a tese “Ressecção do joelho em Processos Operatórios”. Trabalhou em São Domingos do Prata/MG, Muriaé/MG, Mendes/RJ e Pederneiras/SP. Foi fiscal das loterias nacionais na cidade do Rio de Janeiro em 1902.

JOSÉ VIEIRA DA COSTA VALENTE
Nasceu em 8 de setembro de 1862 em Divina Pastora/SE, filho de Ignácio Gomes de Araújo Mello e Josepha da Costa Valente Mello. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 26 de dezembro de 1886 defen¬dendo a tese “Formas clínicas do impaludismo”. Clinicou em Riachuelo/SE por pouco tempo, logo depois se transferiu  para Capivary (1888), em São Paulo, onde residiu por 22 anos. Foi um dos fundadores da Santa casa de Misericórdia de Capivary. Em novembro de 1910 mudou-se para a capital de São Paulo, onde clinicou por mais trinta anos no bairro do Brás. Foi um numismático e filatelista de importância em São Paulo. Pai de treze filhos, entre os quais Edison da Costa Valente, médico do leprosário Santo Ângelo. Faleceu em 27 de outubro de 1942, no Rio de Janeiro, com 80 anos.

JOSÉ ZACHARIAS DE SOUZA
Nasceu em 6 de julho de 1855 em Itabaianinha/SE, filho de José Vicente de Souza e Porphyria Maria de Souza Campos e irmão do monsenhor e senador Olympio de Souza Campos, governador de Sergipe. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 18 de dezembro de 1876, defendendo a tese “Eclampsia”. Foi deputado estadual de 1880 a 1883 e trabalhou em Estância/SE como obstetra (por pouco tempo) e em Ribeirão Preto/SP. Faleceu em 9 de abril de 1913, em Ribeirão Preto/SP, com 58 anos.

JOSEFA ARAÚJO SOUZA
Nasceu em 18 de julho de 1938, em Boquim/SE, filha de Cantídio de Araújo Bessa e Mariana de Oliveira Araújo. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia em 1963. Fez residência médica em ginecologia e obstetrícia no Hospital das Clínicas Prof. Edgar Santos. Concluindo a residência, transferiu-se para Aracaju sendo contratada pela Secretaria da Saúde para prestar atendimento ambulatorial, ingressando tam¬bém na maternidade Dr. João Firpo, do Hospital Santa Isabel. Atuou ainda no INAMPS e na maternidade Santa Lúcia. Atualmente exerce suas atividades nas maternidades Dr. João Firpo, Santa Helena e do Hospital Primavera. 
 
JOSEFINA MARANHÃO PINTO 
Nasceu em 15 de abril de 1928 em Aracaju/SE, filha de Jônathas Pinto de Rezende e Júlia Maranhão Pinto. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 15 de dezembro de 1955. Após a formatura retornou a Aracaju onde exerceu a clínica pediátrica em toda a sua plenitude, inicialmente como médica da Secretaria da Saúde, no Posto de Saúde Carlos Menezes. Atuou nas cidades de Santo Amaro e São Cristóvão. Foi médica do Instituto de Assistência e Previdência dos Comerciários – IAPC e depois dos industriários – IAPI. Prestou assis¬tência pediátrica nos hospitais Santa Isabel e São José. Atuou no Dispensário de Tuberculose da Secretaria da Saúde e foi pediatra da Legião Brasileira de Assistência. Aposentou-se integralmente de suas atividades médi¬cas em 1991. Reside em Aracaju/SE.
 
JOSINO CORRÊA COTIAS
Nasceu em 11 de maio de 1850, em Estância/SE, filho de Antônio Joaquim Corrêa e Beliza Corrêa Cotias. Formou¬se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1881, defendendo  a tese “Eletroterapia”. Formou-se também em far¬mácia (1871) e em odontologia (1873). Foi professor de física médica (1893), de medicina legal (1906 a 1914) e de higiene (1914 a 1925) da Faculdade de Medicina da Bahia. Escreveu: “Estudos clínicos de teratologia dentária nas crianças degeneradas”,“Progênese e Farmacodinâmica”,“Os testamentos sob o ponto de vista médico-legal”. Faleceu em 7 de dezembro de 1929, em Salvador/BA, com 78 anos.

JOSUÉ RODRIGUES DO REGO
Nasceu em Caapora/PB em 23 de agosto de 1947, filho de zacarias Batista do Rego e Edite Rodrigues do Rego. Formou-se pela Universidade Federal da Paraíba - Campus de João Pessao em 29 de dezembro de 1977. Inscrito no CREMESE sob número 1095, em 3 de setembro de 1984.Presidiu a Associação dos Médicos do Hospital de Urgencia Gov.João Alves Filho. Faleceu em 21 de junho de 2012, em Aracaju.

 JOVINIANO JOAQUIMDE CARVALHO
Nasceu na Bahia formando-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1881, defendendo a tese “Tétano Traumático e o seu Tratamento”. Sergipanizou-se em Simão Dias, onde constituiu família, clinicou e representou aquela comuni¬dade em diversos mandatos. Aproximou-se familiarmente de Gervázio Prata e do coronel Pedro Freire de Carvalho, que foi vice-presidente do Estado, na administração do general José de Siqueira Menezes, chegando a assumir, tem¬porariamente, o Governo. Foi deputado cinco vezes e teve substituto em seu filho, o advogado e intelectual Antonio Manoel de Carvalho Neto.  Faleceu em 17 de agosto de 1929, em Anápolis (Atual Simão Dias/SE)

JOVINIANO RAMOS ROMERO
 Nasceu em 5 de maio de 1858, em Lagarto/SE, filho do Comendador André Ramos Romero e Maria Vasconcelos da Silveira Ramos. Irmão de Sílvio Romero. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1881, defenden¬do a tese “Patogenia e tratamento da ataxia locomotriz progressiva”. Depois de formado exerceu a clínica em sua cidade natal até 1890, quando se transferiu para a Capital Federal, onde viveu e clinicou até a sua morte em 23 de setembro de 1902, com 44 anos.

JULIANO CALASANS SIMÕES
Nasceu em 14 de abril de 1904, em Salvador/BA, filho de Miguel Carlos da Costa Simões, médico obstetra baia¬no e Maria Leite Calasans Simões. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1924, defendendo a tese “Reflexos pupilares e seu valor semiológico em psicopatias”. Em 1925 transferiu-se para Sergipe, passando a cli¬nicar em Aracaju em consultório na Rua do Barão e no Hospital Santa Isabel. Em 1926 realizou a primeira cirur¬gia oftalmológica de Sergipe, no Hospital de Cirurgia. Acompanhou o cirurgião Augusto Cezar Leite por toda a vida, como amigo e colaborador fraterno. Exerceu funções públicas em vários governos, entre eles o de Diretor Geral de Saúde Pública. Foi um dos fundadores da Faculdade de Medicina, onde foi professor de oftalmologia. Fundador da Sociedade Médica de Sergipe, sendo seu presidente (1971-1973). Participou de diversas associa¬ções médicas pelo Brasil. É patrono da cadeira vinte e três da Academia Sergipana de Medicina. Faleceu em 3 de fevereiro de 1984, em Aracaju, com 83 anos.
 
JÚLIO BARRETO DE AGUIAR
Nasceu em 27 de julho de 1885, filho de Manuel Antônio Elias de Aguiar e Anna Etelvina de Aguiar. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 30 de março de 1911, defendendo a tese “Considerações sobre o diagnóstico e tratamento da osteo-artrite tuberculosa coxo-femural, em começo”.
 
JÚLIO FLÁVIO PRADO LEITE
Nasceu em 24 de fevereiro de 1916, em Divina Pastora/SE, filho de Flávio Menezes Prado e Amélia Leite Prado e pai do médico Jorge Alberto Teles Prado, ex-presidente do Conselho Regional de Medicina. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 11 de dezembro de 1939. Em 1942, por decreto do Presidente Getúlio Vargas, foi nomea¬do Segundo Tenente Médico da Reserva. Fez cursos de especialização em gastroenterologia (1952) e cardiologia ( 1956), ambos na cidade  do Rio de Janeiro. Realizou ainda curso de radiologia cardiovascular e ECG na mesma cida¬de no ano de 1956. Foi um dos fundadores da Faculdade de Medicina de Sergipe, lecionando a disciplina de clínica médica. Por portaria do Ministro do Trabalho, Indústria e Comércio, foi nomeado médico do quadro de pessoal do Serviço Social de Sergipe, em 1951. É patrono da cadeira vinte e quatro da Academia Sergipana de Medicina. Faleceu em 25 de abril de 1978, aos 61 anos.

JUSSUÊ BATISTA MORENO
Nasceu em 23 de fevereiro de 1930, em Várzea Alegre/CE, filho de Vicente Batista Moreno e Arlinda Batista de Freitas. Formou-se pela Faculdade de Ciências Médicas de Recife em 1957. Veio para Sergipe em maio de 1965, através da Fundação Sesp, atuando como médico sanitarista em vários municípios sergipanos. Faleceu em 28 de março de 2005, em Aracaju, com 75 anos.

JUVENAL DE OLIVEIRA ANDRADE
Nasceu em 28 de fevereiro de 1853, em Simão Dias/SE, filho de Francisco Antônio de Oliveira e Rosa Maria de Oliveira. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 18 de dezembro de 1876, defendendo a tese “Oftalmia purulenta”. Clinicou em Maruim, Riachuelo, Rosário do Catete e Simão Dias/SE, como obstetra e pediatra. Como tantos outros médicos sergipanos, transferiu-se para São Paulo. Em 1895 participou do comba¬te à febre amarela no município de Araraquara/SP. Publicou “Aos Nossos Colegas e ao Público”, uma série de quinze artigos na Gazeta de Aracaju, em maio de 1880. Foi uma resposta a um parecer sobre a sanidade men¬tal de um paciente, assinado pelos famosos médicos Domingos Guedes Cabral  e Pedro Júlio Barbuda. Faleceu em São Paulo, sem deixar família, em data incerta.

 

   VENDAS:

  SOMESE ( 79-3211-9357)

  LIVRARIAS ESCARIZ
  (Shopping Jardins e Riomar)

  BANCA DO MINI'GOLF


   CAFÉ DO MUSEU (79 3041-0692 )

   Pálacio-Museu Olímpio Campos-
   Pça.Olímpio Campos, s/n – Centro. Telefone:


  Sugestões de verbetes,
  correções, adendos ou críticas
.


 
Mande sua mensagem, crítica e sugestão
   
Nome
Email:
Assunto
Mensagem
Anexo
 

 Copyright©2009 – Antonio Samarone de Santana, Lúcio Antonio Prado Dias e Petrônio Andrade Gomes.
 TODOS OS DIREITOS DESTA EDIÇÃO RESERVADOS AOS AUTORES
 Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, com finalidade de comercialização
 ou aproveitamento de lucros e vantagens, com observância da Lei de regência.
 Poderá ser reproduzido texto, entre aspas, desde que haja expressa menção dos nomes dos autores, título da obra, editora, edição e paginação.
 A violação dos direitos de autor (Lei 9.610/98) é crime estabelecido pelo artigo 184 do Código Penal.