O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player





Selecione uma letra ao lado!
Verbetes E

EDGAR ALVES DA SILVA FILHO
Nasceu em 16 de julho de 1947, em Pernambuco, filho de Edgar Alves da Silva e Odete Gama da Silva. Formou-se pela Faculdade de Medicina de Pernambuco. Atuou como médico sanitarista e médico do trabalho. Foi médicos da Fundação Sesp em Japaratuba/SE e exerceu atividades no ambulatório do Hospital Universitário. Atuou ainda na Petromisa, Delegacia Federal do Ministério do Trabalho em Sergipe. Seu último trabalho foi na Petrobrás, sediado em Salvador, onde faleceu em 2 de junho de 2011, com 63 anos.

EDELZIO VIEIRA DE MELO
Nasceu em 8 de setembro de 1909, em Rosário do Catete/SE, filho do desembargador José Sotero Vieira de Melo e Arminda Barreto de Menezes Melo. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1936. Em 1937 começou a clinicar em Capela/SE. Eleito prefeito da cidade (1942-1945). Em Aracaju fixa residência e é nomeado para a Diretoria de Saúde Pública, exercendo atividades médicas no SESI e no IAPC. A partir de 1945 passa a se dedicar à política, elegendo-se deputado estadual em 1946 e constituinte em 1947, tornando-se Presidente da Assembléia Legislativa em função do afastamento do Dr.Marcos Ferreira para a Prefeitura de Aracaju. Elegeu-se vice-governador de Sergipe em 1950. Disputa o governo nos pleitos de 1954 e 1958 não se elegendo apesar das expressivas votações. É patrono da cadeira dez da Academia Sergipana de Medicina. Faleceu em 23 de dezembro de 1962, em Aracaju/SE, com 53 anos. Sepultado no Cemitério Santa Isabel, Aju/SE.

EDILBERTO DE SOUZA CAMPOS
Nasceu em 4 de setembro de 1883, em Lagarto/SE, filho do Desembargador Guilherme de Souza Campos ( que foi presidente do Estado de Sergipe de 1906 a 1909) e Anna de Souza Campos. Doutor em medicina pela Faculdade do Rio de Janeiro em 1905, defendendo a tese “Notas sobre a correção óptica permanente na myopia”, tese duramente criticada pelo professor Abreu Fialho. Especialista em oftalmologia e membro da Sociedade Brasileira de Oftalmologia. Publicações: “Crônicas da Passagem do Século”, “Consultas oftalmológicas” (1927), “Centenário do Desembargador Guilherme Campos” (1950). Publicou no Jornal “O Estado de Sergipe”, edição de 21 e 22 de junho de 1905, artigos sobre higiene escolar. Em junho de 1908 lançou um importante livro de medicina: “Os Medicamentos da Oculística”, opúsculo de 144 páginas, destinado a servir de guia prático no uso dos medicamentos pela categoria médica. Em março de 1909, realizou curso de especialização em oftalmologia em Viena, na Áustria, após concluir um período como secretário de Governo durante a administração do pai, Guilherme de Campos, no Governo de Sergipe. Faleceu em 2 de abril de 1971, no Rio de janeiro/RJ, com 87 anos.

EDSON FARIAS BRASIL
Nasceu em 18 de julho de 1920, em Indiaroba/SE, filho de Geminiano Brasil e Maria Farias Brasil. Formou-se pela Faculdade de Medicina de Recife em 1945. Otorrinolaringologista e oftalmologista. Atuou no Ministério do Exército, LBA, INPS e DETRAN. Faleceu em 28 de setembro de 1993, em Aracaju/SE, com 73 anos. Sepultado no Cemitério Santa Isabel, Aju/SE.


EDUARDO FERNANDES DE MAGALHÃES

Nasceu em 16 de fevereiro de 1866, em Estância/SE, filho do Dr. José Lourenço de Magalhães e Luiza Fernandes de Magalhães, e irmão do médico José Fernandes de Magalhães. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 1888, defendendo a tese “Das dermatoses de origem diabética”. Trabalhou no Rio de Janeiro e em São Paulo. Membro-correspondente da Academia Nacional de Medicina. Colaborador do “Jornal do Commercio” (RJ), “Diário de Campinas” e “Diário Popular” (SP) “Cidade de Campinas” (SP). Escreveu, entre outros: “A Influenza”, “Febre amarella”, “Do arsênico em medicina”, “A dyspepsia”, “A coqueluche e seu tratamento”, “O ácido arsênico na febre amarella”, “Moléstias bronco-pulmonares”.


EDUARDO LEITE VELLOSO
Nasceu em 26 de setembro de 1881, em Arauá/SE, filho de Eduardo Gomes Ferreira Veloso e Maria Constança Leite Velloso. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em farmácia e depois em medicina em 1902, defendendo a tese “Da influência benéfica da erisipela na sífilis”. Militar, chegou a ser deputado estadual pela Bahia, trabalhou em Belém/PA e faleceu em 9 de setembro de 1923, em Salvador/BA com 42 anos.

EDUARDO VITAL DOS SANTOS MELO
Nasceu em 6 de outubro de 1940, em Aracaju/SE, filho de Álvaro Rodrigues de Melo e Myrian de Oliveira Santos Melo. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1965. Especializou-se em psiquiatria, tendo sido aluno do prof.Roberto Santos. Fez curso de planejamento em Saúde, promovido pela SUDENE e OMS, em Recife. Fez curso de Saúde Pública nos Estados Unidos. Retornando a Sergipe foi imediatamente nomeado assessor do Dr. Walter Cardoso, então Secretário de Saúde. Pianista e compositor. Foi secretário de saúde nos governos Lourival Baptista (1967 – 1970) e José Rollemberg Leite ( 1975 - 1979). Membro-fundador da Associação Sergipana de Psiquiatria e da Academia Sergipana de Medicina, onde ocupou a cadeira vinte e um. Faleceu em 22 de julho de 1999, em Aracaju/SE, com 58 anos.

ELCY VIANNA ROLLEMBERG
Nasceu em 8 de agosto de 1935, em Salvador/BA, filha de Cícero Pontifico Vianna e Elza Calumby Tourinho Vianna. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1959. Atuou como médica ginecologista do IPASE e do INPS de 1961 a 1971. Foi médica citopatologista do Laboratório de Patologia Cirúrgica do Hospital Presidente Médici, em Brasília e Preceptora de Residentes do mesmo hospital, no ano de 1977. Estagiou no Hospital Central do Câncer e no Serviço de Anatomia Patológica do Hospital dos Servidores do Estado do Rio de Janeiro de 1972 a 1973. Membro da World Association for Gynecological Cancer Prevention e da Associação Médica de Brasilia. É formada também em psicologia pela CEUB – Centro Universitário de Brasília. Reside em Aracaju/SE, com o esposo Francisco Rollemberg.

ELEYSON CARDOSO
Nasceu em 14 de junho de 1892, em Aracaju/SE, filho de Brício Maurício de Azevêdo Cardoso e Mirena Perpedigna Cardoso. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 23 de março de 1917, defendendo a tese “Assistência pública no Rio de Janeiro”. Foi pianista, compositor e telegrafista. Trabalhou como médico em navios de transportes na Primeira Guerra Mundial. Sócio-efetivo da Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro e sócio-fundador da Sociedade Brasileira de Hygiene. Foi Diretor da Inspetoria de Higiene no governo do irmão Graccho Cardoso, sendo o responsável pela vinda, para atuar em Sergipe, de sanitaristas de renome nacional como Parreiras Hortas, Carlos Sá, José Alencar Teixeira Coimbra e Antonio Periassu. Em sua administração, a Saúde Pública em Sergipe experimentou um grande desenvolvimento, com a criação do Hospital de Cirurgia, do Instituto Parreiras Horta e a organização do serviço sanitário estadual. Firmou o primeiro Convênio com a Fundação Rockfeller para o combate à febre amarela no Estado. Escreveu: “Contribuição ao estudo da Schistossomose no Estado de Sergipe”.

ELIFAS ANTÔNIO DE FREITAS
Nasceu em 18 de maio de 1944 em Santa Helena de Goiás/GO, filho de Eni de Freitas Conceição e Floriana Leal de Freitas. Médico radiologista e ultrassonografista. Formou-se no curso de Medicina da Universidade de Brasília em 11 de agosto de 1973. Exerceu a função de médico radiologista nos Hospitais Presidente Médici de 1976 a 1980, da Guarnição, de 1983 a 1984 e da Fundação Hospitalar de Brasília de 1981 a 1983. Em julho de 1984 mudou-se para Aracaju/SE onde atuou na Clínica Climedi, no Hospital Cirurgia e no Hospital João Alves Filho. A partir de outubro de 1995 foi professor substituto no Departamento de Medicina da Universidade Federal de Sergipe, na disciplina de imagenologia. Membro titular do Colégio Brasileiro de Radiologia, membro fundador e titular da Sociedade Sergipana de Radiologia, desde 1985 tendo exercido sua presidência no período de 1993-1995. Membro da Radiological Society of North América desde agosto de 1995. Faleceu em 23 de fevereiro de 1998, em Aracaju/SE, com 54 anos de idade, vítima de câncer.

ELIZABETE ANDRADE TAVARES
Nasceu em 1º de janeiro de 1946, em Nossa Senhora das Dores/SE, filha de Pedro Alcantara de Andrade e Rita Helena Ferreira. Formou-se pela Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Federal de Sergipe em 1971. Especializou-se em clínica médica, reumatologia e medicina do trânsito. Presidiu a Sociedade Sergipana de Radiologia e a Liga Norte Nordeste de Reumatologia. Fundora do Gruparse - Grupo dos Reumáticos de Sergipe em 1994. Integra a Academia Brasileira de Reumatologia, onde ocupa a cadeira trinta e dois. Membro titular da Liga Panamericana de Reumatologia. Ex-professora de cardiologia e reumatologia do curso de fisioterapia da Unit. Professora e radialista profissional, é uma das apresentadoras do programa “Comunicando Vida” pela Rádio Cultura. Dirigiu o Hospital Adauto Botelho de 1974 a 1976. Em 2008 foi eleita para a cadeira vinte e quatro da Academia Sergipana de Medicina, que tem como patrono o Dr. Júlio Flávio Leite Prado. Faleceu em
25 de agosto de 2011, com 65 anos, sendo sepultada em Nossa Senhora das Dores, sua terra natal.

ELIZIÁRIO PRUDÊNCIO DA LAPA PINTO  – nasceu em 28 de abril de 1839, em São Cristóvão, filho do capitão José Pinto da Cruz e Maria de S. José da Lapa Pinto. Atuou à frente de um batalhão de voluntários que se deslocou até o sul do país, para participação na Guerra do Paraguai, sem entretanto atuar diretamente no conflito. Estabeleceu-se no Rio de Janeiro, dedicando-se ao estudo da medicina homeopática. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Peru,  obtendo o diploma de médico. Em 1890, passou a apresentar sintomas de  loucura, que o inutilizou para sempre. Perfeito artista do verso, imaginoso e fluente, a igualar ao gênio de Gonçalves Dias na cadência da rima, nutriu como ele o mesmo pensamento de nacionalizar a poesia, dando-lhe uma feição caracteristicamente brasileira. Uma boa parte das suas produções obedece a este plano idealizado pelos dois poetas. Foi sócio e orador da Sociedade Beneficente “Fraternidade Sergipana” em Salvador/BA  e da Sociedade “Terpsichore Aracajuana”. Publicou vários artigos na imprensa e por ocasião da visita de Dom Pedro II a Aracaju, dirigiu alocação ao imperador a à imperatriz, em nome dos habitantes da Barra dos Coqueiros, em 13 de janeiro de 1860. Faleceu em 22 de novembro de 1897, na Boca do Mato, Estação do Meier, no Rio de Janeiro, com 58 anos. É patrono da cadeira 10 da Academia Sergipana de Letras.

ENÉAS MANUEL FERREIRA
Nasceu em 21 de junho de 1865 em Neópolis/SE, filho de Antônio Manuel Ferreira e Maria Angélica Conceição Ferreira. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 28 de setembro de 1888, defendendo a tese “Do tratamento cirúrgico da tuberculose”. Trabalhou em Cururipe, Matta Grande, Água Branca e Pão de Açúcar/AL, em Aracaju/SE e Neópolis/SE), onde possuía uma farmácia. Faleceu em 24 de junho de 1922, em Neópolis/SE, com 57 anos.

ENJOLRAS VAMPRÉ
Nasceu em 4 de julho de 1885, em Laranjeiras/SE, filho do Dr. Fabrício Carneiro Tupinambá Vampré e Mathilde de Andrade Vampré. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 19 de dezembro de 1908, defendendo a tese “Ligeiras considerações sobre as perturbações nervosas e mentais da peste bubônica”. Foi o melhor aluno da sua turma e conquista espaço de honra no Pantheon da Faculdade de Medicina da Bahia, com a conquista do prêmio Prf° Manoel Victorino Pereira, instituido em 1892, por ter obtido a maior média global nas disciplinas. Realizou viagem à Europa, onde freqüentou, em Paris, os Serviços de Babinski, Dejerine, Foix, Guillain e Bertrand, bem como outros Serviços famosos na Alemanha. Foi redator da revista “Annaes Paulista de Medicina e Cirurgia”/SP. Escreveu para “O Estado de São Paulo”. Membro-titular da Sociedade de Medicina e Cirurgia de S. Paulo. Alguns escritos: “Hospício do Juquery”, “Um caso de paranoia”, “A tachypnéa na peste bubônica”, “Prophylaxia da lepra”, “Uma epidemia de polynevrites arsenicaes”, “Epilepsia psychica com Syndrome de Stockes”, “Responsabilidade criminal dos epilépticos”. Foi Presidente da Sociedade de Medicina de São Paulo (1921) e sócio fundador da Associação Paulista de Medicina, sendo o seu quarto Presidente, em 1936. Em 1935, com 50 anos de idade, o Prof. Enjolras Vampré demonstrando a sua grande capacidade científica e profissional, conquistou com grande distinção a Cátedra de Neurologia da Faculdade de Medicina de São Paulo, em memorável concurso. É considerado o fundador da escola neurológica paulista. Patrono da Cadeira quarenta e nove da Academia Nacional de Medicina, Patrono da Cadeira trinta e oito da Academia Paulista de Psicologia, Patrono da Cadeira onze da Academia Sergipana de Medicina. É nome de rua em São Paulo: Rua Enjolras Vampré, no Jardim da Saúde (zona sul). Faleceu em 17 de maio de 1938, em São Paulo/SP, com 53 anos de idade.

ERALDO MACHADO DE LEMOS
Nasceu em 6 de maio de 1922, na Fazenda Paraúna, Brejo Grande/SE, filho de Manoel Machado de Lemos e Isaura Machado de Lemos e irmão dos médicos Mário e Eunice Machado de Lemos. Formou-se pela Faculdade de Ciências Médicas do Rio de Janeiro, na turma de 1947. Exerceu as atividades profissionais de médico em Sergipe e na Bahia. Formou-se em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito da Universidade Federal de Alagoas - UFAL, em 1954, chegando a exercer a atividade profissional de advogado. Foi líder estudantil, Presidente do Diretório Acadêmico, Secretário Geral e Presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE). Participou da Assembléia de fundação e integrou a primeira diretoria da Associação Médica Brasileira (AMB), em 1951. Atuou na Associação Baiana de Medicina. Foi deputado estadual de 1947 a 1951. Teve grande participação e importância nos movimentos da categoria médica na década de 50. Deputado federal por dois mandatos, de 1966 a 1974. Presidente do Instituto de Aposentadoria e Pensão dos Comerciários – IAPC, de 1958 e 1959, no Governo JK. Exerceu atividades ainda da área de jornalismo. Reside em Aracaju/SE.

ERONIDES FERREIRA DE CARVALHO
Nasceu em 25 de abril de 1895, em Canhoba/SE, filho de Antônio Ferreira de Carvalho e Balbina Mendonça de Carvalho. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 20 de dezembro de 1917, defendendo a tese “Do ópio em terapêutica mental”. Foi militar e um dos pioneiros do Hospital Cirurgia, sendo o primeiro auxiliar do Dr. Augusto Leite. Em 24 de junho de 1926, data histórica para a Medicina de Sergipe, no Hospital Cirurgia, recém-inaugurado, uma equipe médica realizou os primeiros serviços operatórios: Augusto Leite uma laparotomia, Juliano Simões uma operação de catarata e Eronides Carvalho, um talho hipogástrico. Tenente Médico do Exército, por determinação de Juarez Távora, um dos lideres da revolução de 1930, assumiu o cargo de governador militar provisório de Sergipe em 17 de outubro de 1930, ficando no cargo até a posse de Maynard Gomes, ocorrida um mês depois. Participou no front da Revolução Constitucionalista de São Paulo em 1932. Em 1935, sucedeu Maynard Gomes como Governador de Sergipe, ficando no cargo até 1941. Realizou notável obra pública, construiu a Biblioteca Pública na praça Fausto Cardoso onde hoje funciona o Arquivo Público, construiu a sede do Instituto Histórico na rua Itabaianinha, o Palácio Serigi, atual sede da Secretaria de Estado da Saúde, o Hospital de Assistência a Psicopatas em Nossa Senhora do Socorro, ampliou o Hospital de Cirurgia, dentre outros. É patrono da cadeira doze da Academia Sergipana de Medicina. Faleceu em 18 de março de 1969, no Rio de Janeiro/RJ, onde mantinha um cartório, com 73 anos.

ETELVINO DE MENEZES TAVARES
Nasceu em 10 de junho de 1888, em Porto da Folha/SE, filho de Miguel Nunes da Silva Tavares e Maria Feliciana de Menezes Tavares. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 27 de dezembro de 1913, defendendo a tese “Dos suppostos accidentes da primeira dentição”. Trabalhou como clínico-geral em Propriá/SE, dirigindo o Dispensário local no combate à lepra e doenças venéreas. Faleceu em 11 de outubro de 1961, em Aracaju/SE, com 73 anos. Sepultado no Cemitério Santa Isabel, Aju/SE.

EUGÊNIO GUIMARÃES REBELLO
Nasceu em 21 de janeiro de 1848, em São Cristóvão/SE, filho de Henrique Jorge Rebello e Carolina Freire do Prado. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em novembro de 1869, defendendo a tese “As raças humanas descendem de uma só origem?”. Interrompeu o curso de Medicina no quarto ano para servir na Guerra do Paraguai (1867), sendo condecorado com a Ordem Imperial da Rosa. Trabalhou como clínico-geral no Paraná e no Rio de Janeiro, a partir de 1875. Nesta cidade, dedicou-se a princípio à medicina e por último quase exclusivamente ao magistério, quando já arrefecida a sua predileção pelos estudos literários, pelos trabalhos de crítica teatral e pelas lutas da Imprensa. Colaborou para “O Jornal do Brasil” e “Jornal do Commercio” (RJ), “O Paiz”. Fundou e redigiu “O Instituto”: jornal científico, literário e recreativo de sua propriedade. “Eccho Literário”(PR) “Revista de Hygiene” (RJ, 1866) e “A Escola” (RJ, 1900). Escreveu: “Fatos da Marinha de Guerra do Brasileira”, “Corte de apelação”, “Influência do ensino público sobre a educação republicana”. Faleceu em 22 de outubro de 1922, no Rio de Janeiro, com 74 anos.

EUNICE MACHADO DE LEMOS CAMPOS
Nasceu em 30 de agosto de 1914, na Fazenda Paraúna, Brejo Grande/SE, filha de Manoel Machado de Lemos e Isaura Machado de Lemos e irmã dos médicos Eraldo e Mário Machado de Lemos. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia na turma de 1938. Especializou-se em oftalmologia e otorrinolaringologia. Casou com um importante médico alagoano, Dr. Deraldo de Souza Campos, indo residir em Maceió. Foi também professora de química do Colégio Estadual de Alagoas. O Governo de Alagoas homenageou a médica sergipana dando seu nome a uma escola estadual. Faleceu a 26 de maio de 1985, em Alagoas, com 70 anos.

EUSÉBIO BENJAMIM DE ARAÚJO GÓES
Nasceu em 15 de dezembro de 1825, em São Cristóvão/SE, filho de Florêncio de Araújo Góes e Maria Benjamim da Rocha. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 15 de dezembro de 1850, defendendo a tese “Proposições de alguns ramos das ciências médicas”. Atuou na Guerra do Paraguai (Batalha de Tonelero), sendo condecorado com a Ordem da Rosa. Trabalhou na Santa Casa de Misericórdia de S. Cristóvão/SE. Faleceu nesta cidade em 9 de março de 1867, com 42 anos.


ÉVERTON DE OLIVEIRA
Nasceu em 31 de outubro de 1927, em Neópolis/SE, filho de Ulisses de Oliveira e D. Alice de Oliveira. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 15 de dezembro de 1954. Especializou-se em anestesiologia, vindo imediatamente trabalhar no hospital Santa Isabel. Atuou também como obstetra. Trabalhou no Hospital de Cirurgia. Foi médico do IAPC, do IAPI e do SAMDU, da Prefeitura de Aracaju, ocupando o cargo de Secretário da Saúde durante a administração do Prefeito Rooselvet Dantas Cardoso de Menezes (1955 – 1959). Atualmente reside em Aracaju/SE.

 

   VENDAS:

  SOMESE ( 79-3211-9357)

  LIVRARIAS ESCARIZ
  (Shopping Jardins e Riomar)

  BANCA DO MINI'GOLF


   CAFÉ DO MUSEU (79 3041-0692 )

   Pálacio-Museu Olímpio Campos-
   Pça.Olímpio Campos, s/n – Centro. Telefone:


  Sugestões de verbetes,
  correções, adendos ou críticas
.


 
Mande sua mensagem, crítica e sugestão
   
Nome
Email:
Assunto
Mensagem
Anexo
 

 Copyright©2009 – Antonio Samarone de Santana, Lúcio Antonio Prado Dias e Petrônio Andrade Gomes.
 TODOS OS DIREITOS DESTA EDIÇÃO RESERVADOS AOS AUTORES
 Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, com finalidade de comercialização
 ou aproveitamento de lucros e vantagens, com observância da Lei de regência.
 Poderá ser reproduzido texto, entre aspas, desde que haja expressa menção dos nomes dos autores, título da obra, editora, edição e paginação.
 A violação dos direitos de autor (Lei 9.610/98) é crime estabelecido pelo artigo 184 do Código Penal.