O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player





Selecione uma letra ao lado!
Verbetes C

CAMERINO BRAGANÇA DE AZEVEDO
Filho de Epímaco Augusto de Azevedo e Tereza Virgilina de Bragança e Azevedo e sobrinho do médico Antonio Militão de Bragança. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, defendendo a tese “Doenças Profissionais em Geral”. Clinicou em Laranjeiras e depois se transferiu para o Rio de Janeiro. Escritor e jornalista. Escreveu: “Minhas Recordações do Padre Alberto” , “O Rebelde de Guanambi“ e “Doutor Bragança, Esse Varão Laranjeirense”(1971). Faleceu em 1º de fevereiro de 1988.

CÂNDIDO DA COSTA PINTO
Nasceu em 26 de março de 1855 em Divina Pastora/SE, filho do padre Thomaz Antônio da Costa e Maria Praxedes da Soledade. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1880, defendendo a tese “Da operação cezariana”. Foi diretor do Colégio Atheneu de 1904 a 1912 e atuou no Serviço de Verificação de Óbitos. Fundador da Loja Maçônica Força e União, em Salvador/BA e trabalhou em Bomfim/BA. Ingressou no Serviço Militar. Faleceu em 15 de abril de 1915, em Salvador/BA, com 60 anos.

CANUTO GARCIA MORENO
Nasceu em 13 de janeiro de 1916, em Santos/SP, filho de Pedro Garcia Moreno e D. Maria Ambrosina Brandão Moreno e irmão dos médicos João Baptista Perez e Pedro Garcia Moreno, transferindo-se ainda criança para Maruim/SE. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 13 de dezembro de 1941. Atuou em Capela/SE e em Aracaju, inicialmente no Hospital Santa Isabel como cirurgião chegando a assumir a sua direção clínica, sendo responsável pela elaboração do primeiro regimento interno do hospital. Em seguida atuou no Hospital de Cirurgia como proctologista e cirurgião geral de técnica apurada. Sua primeira cirurgia aconteceu em 18 de maio de 1948, uma laparotomia, auxiliado por Osvaldo Leite. Em 1954 apresentou no Centro de Estudos do Hospital de Cirurgia um caso clínico de “Abaixamento de reto”, sendo o primeiro médico a realizar esta cirurgia em Sergipe, com sucesso. Introduziu ao lado de Fernando Sampaio e Fernando Felizola a cirurgia torácica em Sergipe. Presidente da Somese (1956-1957). Em 1962 transferiu-se para Santos/SP, deixando um registro notável de 1.837 operações cirúrgicas realizadas em Sergipe. É patrono da Academia Maçônica de Sergipe e da cadeira cinco da Academia Sergipana de Medicina. Faleceu em 12 de novembro de 1969, em Santos/SP, com 53 anos.

CARIVALDO JOSÉ CHAVANTES

Nasceu em 28 de setembro de 1848, em Laranjeiras/SE, filho de Anacleto José Chavantes e Maria Pastora Alves Chavantes. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de janeiro em 30 de setembro de 1872, defendendo a tese “Paralelo entre a embriotomia e a operação cesariana”. Trabalhou no Rio de Janeiro, onde foi vereador no mandato de 1883 a 1887, falecendo em 14 de setembro de 1907, em Alfenas/MG, com 59 anos.

CARLOS ALBERTO DE MENEZES FIRPO

Nasceu em 14 de abril de 1912, em Aracaju/SE, filho de João Firpo e D. Antonia Menezes Firpo e irmão do médico João Firpo Filho. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1933, ao lado de João Batista Perez Garcia Moreno, do qual foi grande amigo. Médico obstetra, dirigiu o Hospital Santa Isabel por nove anos, onde promoveu uma total transformação com a construção de um novo centro cirúrgico, instalação de lavanderia mecânica, construção da clausura das irmãs e outras reformas. Foi Prefeito nomeado de Aracaju de 1941 a 1942, na segunda interventoria de Augusto Maynard Gomes. Foi casado com Milena Napolioni Mandarino, filha do imigrante italiano Nicola Mandarino, que se radicou e progrediu em Aracaju na área do comércio. Presidente da Somese (1952-1954). É patrono da cadeira sete da Academia Sergipana de Medicina. Prócer udenista, morreu assassinado em 29 de abril de 1958, com 46 anos, em Aracaju/SE, na sua residência, crime não completamente elucidado até os dias de hoje.

CARLOS AUGUSTO COTIAS TORRES

Nasceu em 12 de maio de 1951, em Aracaju/SE, filho de Francisco de Paula Torres e Guiomar Cotias Torres. Formou-se pela Faculdade de Ciências Medicas da Universidade Federal de Sergipe em 4 de janeiro de 1991. Atuou como ortopedista na Clínica dos Acidentados. Faleceu em 5 de fevereiro de 2005, em Aracaju/SE, com 53 anos. Sepultado no Cemitério Santa Isabel, Aju/SE.

CARLOS FERNANDES DE MELO
Nasceu em 14 de outubro de 1910, em Aracaju/SE, filho de João Carneiro de Mello e Antonia Fernandes de Mello. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1932. Iniciou suas atividades profissionais em Propriá atendendo convite do médico Moacir Rabelo Leite. Foi Prefeito de Propriá em 1938. Dirigiu o Hospital São Vicente de Paula até 1945, quando se transferiu para Aracaju. Foi Tenente-Médico do Exército em 1944. Tornou-se especialista em ginecologia e obstetrícia realizando curso no Rio de Janeiro, depois assumindo a direção da Maternidade Francino Melo em substituição ao médico João Firpo. Atuou depois na Maternidade João Firpo e clínicas Santa Lúcia e Santa Helena. Dirigiu o Departamento da Maternidade e Infância da LBA na gestão dos governadores Arnaldo Rollemberg Garcez, José Rollemberg Leite, João de Seixas Dórea e Celso de Carvalho. Foi chefe médico do IAPB e Governador do Rotary Internacional distrito 455 de 1964 a 1965. É patrono da cadeira seis da Academia Sergipana de Medicina. Faleceu em 5 de dezembro de 1990, em Aracaju, com 80 anos. Sepultado no Cemitério Santa Isabel, Aju/SE.

CARLOS HARDMAN CÔRTES

Nasceu em 5 de dezembro de 1939, em Estância/SE, filho de Enock de Assis Côrtes e Carmem Hardman Côrtes. Formou-se pela segunda turma da Faculdade de Medicina de Sergipe, em 1967. Faleceu em 5 de julho de 1984, em Aracaju/SE, com 45 anos, vítima de acidente de trânsito. Sepultado no Cemitério Santa Isabel, Aju/SE.

CARLOS MORAES DE MENEZES
Nasceu em 11 de maio de 1888, em Salvador/BA, filho de Sebastião de Menezes e Maria Joaquina Moraes de Menezes. Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 25 de fevereiro de 1913, defendendo a tese “Contribuição para o estudo clínico da varíola”. Exerceu a obstetrícia e a medicina legal, trabalhando em várias cidades de Sergipe, participando da Revolta da Armada em 1910, no Rio de Janeiro, do Levante de 13 de julho de 1924 em Aracaju e da Revolução de 1930; foi o criador do Instituto de Identificação Criminal de Sergipe, recebendo o Instituto seu nome em 23 de setembro de 1947. É nome de praça pública na cidade de São Cristóvão, foi maçom por breve período, participou da fundação do Hospital Cirurgia, chegando a auxiliar cirurgias, mesmo não sendo cirurgião. Fez o terceiro parto da história do Hospital de Cirurgia. Participou da necrópsia de Lampião e seus asseclas. Fundador do Cemitério dos Náufragos em 1942, quando teve que enterrar os mortos que deram na praia, após afogamento durante bombardeio dos navios mercantes pelos submarinos alemães na 2ª Guerra Mundial. É patrono da cadeira trinta e cinco da Academia Sergipana de Medicina. Faleceu em 10 de agosto de 1944, em Aracaju/SE , com 56 anos. Sepultado no Cemitério Santa Isabel, Aju/SE.

CARLOS MURICY SOUZA
Nasceu em 3 de fevereiro de 1923, em Salvador/Ba, filho de Laudelino Souza e Guiomar Muricy Souza. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1946. Prestou serviço militar no Centro de Preparação de Oficiais da Reserva do Exército Brasileiro, dando baixa como Tenente. Em 1947, atuou na cidade de Esplanada/BA como clínico geral. Ingressou no Serviço Nacional de Malária, passando a residir em Juazeiro/BA. Em 1951 transferiu-se para o Rio de Janeiro onde fez curso de especialização em anestesiologia por dois anos. A partir de 1951, passou a atuar em diversas cidades mineiras, Caratinga, Tarumirim, Santo Antonio de Manhuaçu e finalmente Acesita, onde iniciou suas atividades como anestesista. Em 1957 passou a residir em Aracaju, atuando no DNOCS – Departamento Nacional de Obras contra a Seca. Atuou no SAMDU e nos Hospitais de Cirurgia e Santa Isabel. Neste, foi membro de sua diretoria por muitos anos. Participou da fundação e foi um dos mais atuantes membros do Conselho Regional de Medicina de Sergipe, conclamando os colegas de todo o estado para que se inscrevessem no órgão. No Cremese, permaneceu como conselheiro por dois mandatos, da 1959 a 1966, quando pediu renúncia. Presidiu a Sociedade Médica de Sergipe, organizando a programação comemorativa do Jubileu de Ouro da primeira laparotomia realizada em Sergipe, realizada por Augusto Leite. Faleceu em em 6 de abril de 2003, em Aracaju/SE , com 80 anos. Sepultado no Cemitério Santa Isabel, Aju/SE.

CARMEN SÍLVIA CÔRTES MENEZES MACIEL
Nasceu em 25 de abril de 1963, na cidade de São Paulo/SP, filha de Nairson Aquino Menezes e Silvia Carmen Hardman Côrtes Menezes. Ingressa em 1983 na clínica de Acidentados exercendo as atividades no ambulatório de emergência, até 1986, como estagiária-acadêmica. Em 1985 é aprovada em primeiro lugar no concurso para monitor da disciplina de Ortopedia e Traumologia. Formou-se pela Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Federal de Sergipe em 1986. Especializou-se em ortopedia atuando no Hospital Governador João Alves Filho e na Clínica dos Acidentados. De 1986 a 1995 exerceu naesta a função de médica plantonista no serviço de emergência. Por concurso, ingressou também na fundação Hospitalar de Sergipe sendo lotada no Hospital Governador João Alves Filho. Fazia curso de especialização em medicina do trabalho quando faleceu vítima de acidente automobilístico em 5 de junho de 1995, em Aracaju/SE, com 32 anos. Sepultada no Cemitério Santa Isabel. Aracaju/SE.

CARPOPHORO MENDONÇA LIMA
Nasceu em 10 de dezembro de 1860 em Tobias Barreto/SE, filho de Luiz Cyrillo Lima e Inácia Carolina da Rocha Lima e teve dois irmãos médicos - Domingos Portela Lima e João Cândido Lima. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 31 de agosto de 1886, defendendo a tese “Febre remitente biliosa dos países quentes”. Clinicou em Estância/SE, radicando-se depois em São Paulo (Itatiba, Palmeiras, Pirassununga, Dois Córregos, Santos e Rio Claro). Faleceu em 27 de novembro de 1902, em Rio Claro/SP, com 41 anos.

CELUTA MARIA MONTEIRO FREITAS

Nasceu em 19 de janeiro de 1948, em Aracaju/SE, filha de Antonio Valença Monteiro e Maria Celuta Franco Monteiro. Formou-se pela Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Federal de Sergipe em 17 de dezembro de 1971. Atuou como clínica geral. Faleceu em 22 de dezembro de 2000, em Aracaju/SE, com 52 anos.

CEZARIO FERREIRA DE BRITTO TRAVASSOS
Nasceu em 13 de fevereiro de 1864, em Japaratuba/SE, filho de João Ferreira de Britto Travassos (também médico) e Clara América da Silva Travassos; era sobrinho do Comendador Antonio José da Silva Travassos. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 30 de agosto de 1886, defendendo a tese “Nervos suspensivos e aceleradores”. Foi residir em São Paulo, na próspera cidade de Santa Rita do Passa Quatro, onde foi diretor do jornal local “Gazeta de Santa Rita”. Foi clínico conceituado, político, jornalista e fazendeiro. Residiu também em Jaboticabal e Browsky, aonde veio a falecer. Foi deputado estadual por São Paulo em 1910. Faleceu em 23 de maio de 1928, em São Paulo, com 64 anos. Atualmente, os “Travassos” continuam como família importante em Ribeirão Preto.

CIRO CARVALHO TAVARES
Nasceu em 2 de fevereiro de 1927, em Propriá/SE, filho de Brasilino da Silva Tavares e Dona Dulce de Carvalho Tavares. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 15 de dezembro de 1954. Especializou-se em ginecologia e obstetrícia. Atuou em Propriá e Aracaju. Fundou, ao lado de Hugo Gurgel e Gileno Lima a primeira clínica obstétrica de Sergipe, a Clínica “Santa Lúcia”. Foi membro do Conselho Regional de Medicina e seu vice-presidente de 1974 a 1978. Faleceu em.....


CLEONALDO DA SILVA ARAÚJO - Nasceu em 28 de abril de 1946, em Boquim, filho de Alipio Messias de Araujo e Raimunda Macedo da Silva. Formou-se pela Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Federal de
Sergipe em 1973. Foi médico por muitos anos da Energipe - atual Energisa, da fábrica de tecidos Confiança e até 2011 trabalhava no PSF no bairro Coqueiral, zona norte da cidade.  Faleceu em 13 de abril de
2011, com 64 anos, em Aracaju.

CLODOALDO ROLIM ARARUNA
Nasceu em 26 de abril de 1937, em Cajazeiras/PB, filho de Antonio Augusto Rolim Araruna e Maria Augusta Araruna. Formou-se pela Faculdade de Medicina de Pernambuco em 1967. Transferiu-se para Aracaju em 1969, atuando como ortopedista do Inamps e do Hospital da Polícia Militar. Faleceu em 30 de março de 1996, em Aracaju/SE, com 58 anos. Sepultado no Cemitério Santa Isabel, Aju/SE.

CLÓVIS ALVES FRANCO
Nasceu em 24 de maio de 1912 em Salvador/BA, filho de Antonio Joaquim Alves Franco e Carolina Augusta Aratangy Franco. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1937. Pediatra. Mudou-se para Aracaju em 16 de Janeiro de 1939. Em 12 de março de 1941 foi designado para responder pelo expediente do 3º Distrito Sanitário, com sede em Estância. Posteriormente montou consultório de pediatria até o ano de 1961, quando assinou contrato de trabalho com a FSESP em tempo integral, encerrando suas atividades como pediatra clínico. Foi Chefe das Unidades Sanitárias de Arauá/SE, Santa Luzia do Itanhy/SE e de Estância/SE. Esta última é hoje a Unidade de Saúde da Família “Dr. Clóvis Alves Franco”, da Secretaria Municipal da Saúde. Em 1963 foi contemplado com uma bolsa de estudos para especialização no Estado da Guanabara. Voltou em 1964 e montou um serviço de Tisiologia na FSESP, com o único aparelho de abreugrafia no sul do estado de Sergipe. Atendeu e tratou com sucesso um grande número de pessoas com tuberculose, abrangendo todo o sul de Sergipe. Recebeu do Governo de Maynard Gomes Diploma de Honra ao Mérito, pelo seu trabalho junto às vítimas do torpedeamento dos navios brasileiros na costa de Sergipe (Barra de Estância). Faleceu em 2 de novembro de 1975, com 63 anos.

CLÓVIS CONCEIÇÃO
Nasceu em 20 de maio de 1913, em Simão Dias/SE, filho de Quintino José da Conceição e Maria do Espírito Santo Conceição. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1937. Especializou-se em urologia, abrindo consultório e atuando no Hospital de Cirurgia. Anos depois, seguiu para São Paulo para realizar curso de radiologia com o colega sergipano Ranulpho Prata e habilitado regressou a Aracaju onde assumiu o serviço de radiologia do Hospital de Cirurgia. Trabalhou no IAPC, no Dispensário de Tuberculose e fez concurso para a cátedra de Biologia do Instituto de Educação Rui Barbosa, aposentando-se em 1967. Radiologista do SESI e da Secretaria de Saúde. Dirigiu o Instituto Parreiras Horta. É patrono da cadeira oito da Academia Sergipana de Medicina. Faleceu em São Paulo/SP, para onde havia sido levado em busca de tratamento, em 6 de agosto de 1987, com 74 anos. Sepultado no Cemitério Santa Isabel, Aju/SE.

CLÓVIS OLIVEIRA ANDRADE
Nasceu em 19 de abril de 1959, em Aracaju/SE, filho de João dos Santos Andrade e Delma Oliveira Andrade. Formou-se pela Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Federal de Sergipe em 13 de janeiro de 1984. Especializou-se em cardiologia, dedicando-se aos cuidados com a hipertensão arterial na comunidade, tendo fundado a Liga Sergipana de Hipertensão Arterial, da qual foi o primeiro presidente. Presidiu a Sociedade Sergipana de Cardiologia. Diretor Clínico do Hospital do Coração, do qual foi um dos fundadores. Atuou como professor e coordenador do Programa de Residência Médica em Cardiologia da Universidade Federal de Sergipe em convênio com o Hospital de Cirurgia. Atou no IPES, na Clínica Cemise e na Unidade Diagnóstica da Unimed, realizando exames de ecocardiodoppler. Faleceu em 18 de fevereiro de 2008, em Aracaju/SE, com 48 anos. Sepultado no Cemitério Colina da Saudade, Aju/SE.

CONSTÂNCIO CECÍLIO SOLEDADE
Nasceu em 19 de setembro de 1852, em Estância/SE, filho de Urbano Joaquim da Soledade e Maria Júlia de Azevedo Soledade e meio-irmão do famoso jurista Gumercindo Bessa. Formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia em 1876, defendendo a tese “Sinais diagnósticos fornecidos pelo exame das urinas”. Ainda como estudante, encarregado pelo governo da província, participou do tratamento dos desvalidos atacados de varíolas em Nossa Senhora das Dores/SE, na epidemia de 1874. Por decreto de 14 de fevereiro de 1877 foi nomeado 2º Cirurgião do Corpo de Saúde da Armada, seguindo na corveta “Vital de Oliveira” em viagem de instrução aos mares do Pacífico, voltando à Corte em novembro do mesmo ano. Escreveu em 1869, artigo intitulado “Estância” (Bahia Ilustrada, número 114). Em 11 de janeiro de 1878 foi nomeado para a Companhia de Aprendizes Marinheiros da Paraíba. Em 1879, foi acometido de ataque de loucura, sendo internado no Hospício Nacional do Rio em 1881, onde permaneceu até falecer, em 9 de abril de 1924, no Rio de Janeiro/RJ, com 72 anos.

CONSTANTINO DA SILVA TAVARES FILHO
Nasceu em 20 de dezembro de 1883, em Porto da Folha/SE, filho de Constantino da Silva Tavares e Júlia Austeria de Loureiro Tavares. Formou-se em farmácia em 31 de dezembro de 1903 pela Faculdade de Medicina da Bahia e depois em medicina em 1905, defendendo a tese “Estudo clínico sobre Basedowismo”. Nesse mesmo ano, em 2 de março, aconteceu um devastador incêndio no prédio da faculdade. Trabalhou como clínico-geral em Simão Dias/SE e faleceu em 17 de dezembro de 1909, em Mauá/BA, com 26 anos.

CONSTANTINO JOSÉ GOMES DE SOUZA
Nasceu em 18 de setembro de 1825, em Estância/SE, filho de José Maria Gomes de Souza e Maria Joanna da Conceição. Iniciou o curso de Medicina na Bahia em 1844, concluindo no Rio de Janeiro em 20 de agosto de 1853.. Sua tese de conclusão de curso foi “Quais são as causas da morte súbita?”. Trabalhou em Macacu, Valença e Paraíba do Sul/RJ. Foi militar, dramaturgo, romancista, denominado “Decano dos poetas sergipanos” por Sylvio Romero. Viciado em jogo, foi à falência. Colaborou para os jornais baianos “O Crepúsculo”, “A Borboleta” e “O Homem”, “Jornal do Commercio”, “Illustração Brasileira” e “Semana Illustrada” (RJ). Escreveu romances: “O Cego”, “A filha sem mãe”, “O desengano”, “O grumete”; versos: “Prelúdios poéticos”; “Os hynos da minh’alma”; “O espectro da floresta”, “A filha do Salineiro”, “O libertino”, “O enjeitado”, “Os três companheiros de infância” e “Vingança por vingança”. Faleceu em 2 de setembro de 1877, no Rio de Janeiro/RJ, com 52 anos.

 

   VENDAS:

  SOMESE ( 79-3211-9357)

  LIVRARIAS ESCARIZ
  (Shopping Jardins e Riomar)

  BANCA DO MINI'GOLF


   CAFÉ DO MUSEU (79 3041-0692 )

   Pálacio-Museu Olímpio Campos-
   Pça.Olímpio Campos, s/n – Centro. Telefone:


  Sugestões de verbetes,
  correções, adendos ou críticas
.


 
Mande sua mensagem, crítica e sugestão
   
Nome
Email:
Assunto
Mensagem
Anexo
 

 Copyright©2009 – Antonio Samarone de Santana, Lúcio Antonio Prado Dias e Petrônio Andrade Gomes.
 TODOS OS DIREITOS DESTA EDIÇÃO RESERVADOS AOS AUTORES
 Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio ou processo, com finalidade de comercialização
 ou aproveitamento de lucros e vantagens, com observância da Lei de regência.
 Poderá ser reproduzido texto, entre aspas, desde que haja expressa menção dos nomes dos autores, título da obra, editora, edição e paginação.
 A violação dos direitos de autor (Lei 9.610/98) é crime estabelecido pelo artigo 184 do Código Penal.